Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

09
Mar09

Em nome da beleza...

Fátima Bento

Estamos em ano de crise. E esta não é fictícia, embora muitos digam que ela não existe – e eu até concordo que exista um ou dois grupos de pessoas que não estarão a ser assim TÂO afectados pela mesma – aqueles que não têm cartões de crédito, nem créditos ao consumo no banco, ou empresas de crédito... para esses, as alterações da Euribor têm sido positivas, e as promoções e baixas de preços que pontuarão o ano, vão fazer aumentar o poder de compra... sendo o grande risco o de perder o emprego, o grande fantasma da recessão.


No entanto, não é sobre isso que quero falar.


O contexto crise serve apenas para inserir – e pasmar com – a moda das plásticas. Atrás das figuras publicas que as fazem a troco de as alardear em todas as revistas em que aparecem, o português comum começa a olhar a encarar a ida ao cirurgião como uma ida ao dentista. E fazem-se créditos – e, muitas vezes são as próprias clínicas de estética a tratar disso – e compram-se umas maminhas maiores, uma pele nova sem 80% das rugas, e com mais 70% de firmeza (claro que no pescoço a porca torce o rabo, e ao olhar para as mãos temos a burra nas couves... isto não excluindo a mais económica, o preenchimento dos lábios – agora com colagénio, graças aos céus, que sempre é absorvido ao fim de uns tempos, e suave, enquanto o botox era duro, e só saía cirurgicamente – e a mais almejada, arrisco mesmo que mais desejada que as “maminhas novas”, a lipo-aspiração. Para passados 6 meses estar tudo no mesmo sitio, porque quem faz não pensa que, para manter aquela “perfeição” recém adquirida é exigida uma alteração nos hábitos da pessoa, uma nova higiene de vida, e não apenas abrir a carteira, passar um cheque, marcar um pin ou assinar um talão.


Não consigo perceber.


No entanto concordo plenamente com uma amiga que me dizia há dias que ninguém a demove da certeza de que quem critica só o faz porque não tem dinheiro para fazer o mesmo.


Eu concordo que “quem está mal, muda”. Desde que num ano como este não invista largos milhares de euros numas maminhas novas ou afins. A menos que saia mesmo ao pai... e mesmo assim, pode esperar mais um ou dois aninhos, sim?


Eu cá a mim calhava-me um liftingzinho (mas nem precisava de cirurgia, estou convencida que com uns tratamentos de estética a coisa, por ora, ia ao lugar. E umas sessões de drenagem linfática manual – que as minhas pernas parece que coleccionam pequenos depósitos de liquido, simétricamente em ambas... mas isso são pormenores que nisso eu e a minha conta bancária estamos de acordo: no way josey...


B'jinhos, 


Fátima

 

12 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Follow on Bloglovin

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D