Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

20
Mar09

O ataque do lello

Fátima Bento

Pois é, isto acontece-me cada uma...

 
Ontem estando eu no trabalho – carregadinha de jet-lag depois de ter fechado na terça-feira e chegado a casa depois da meia-noite, e, acto continuo, ontem ter aberto o estaminé, pelo que tive de sair de casa às 6:30h – às tantas, entrou um indíviduo de étnia cigana. E começa:
 
« Ê já cá estive antis, aqui c'o sê patrão e a sua colega de óculos qu'hoje não está, e o patrão até me ficou com um maçito, eu sou o **(não me lembro do nome), filho da Rosa cigana, assim uma cigana forte, que tem uma banca de meias no mercado da Torre da Marinha, e ando aqui a mostrari umas coisas, que lhe vou mostrari sem compromisso, 'tá bem?»
 
E eu sem abrir a boca, só mesmo os olhos, qu'aquilo tudo dito de uma assentada é dose, e interromper é difícil (e nem eu tinha presença de espírito, de uma caminha é que eu precisava, agora de um par de meias!...)
 
O homem sai, «vou só ali à carrinha e volto já, 'tá bêim?», e o meu patrão eclipsa-se escada abaixo. 'Ai qu'isto vai ser lindo, vai', penso de mim para comigo...
 
Ora a criatura lá volta, saquito preto de asas na mão (vá lá, de tamanho razoável), e saca de um pack de meias. Alego que não tenho gente em casa com pés daquele tamanho. Esperto (jura?...), lança mão a um pack de meias de homem, espeta-mas na mão, enquanto elogia a qualidade da coisa. Eu vou balbuciando '...mas eu tenho tantas meias em casa!...', mas ele não desarma, e pespega-me com mais um “ai, olhe a cólidadi!” E eu continuo, perdida entre argumentos, 'não posso agora', 'não preciso', e ele “aprochega-se”, e diz-me perto do ouvido, «ouça, ê ainda acabê de falari, mas você pode dizer isto a ninguêm, p'a sua rica saúde, mas se levar dois ainda lhe ofereço um tercêro, mas não diga nada a ninguém...» e rebéubéu pardais ao ninho.
 
Decido tomar uma atitude firme e acabar com a lenga-lenga
“- Olhe não posso, agora não posso, quando precisar vou à banca da sua mãe e compro!”
 
Não estava eu, qual touro na arena, preparada para a estocada final...
 
O homem lança as duas mãos à cabeça, desata a chorar “ai, qu'eu tenho que dar de comeri aos mês filhinhos, isto é para lhes levar umas bifanas, ai qu'eles passar fome, e eu não 'tou a roubari nem a fazer mal a ninguéim, ai os mês filhinhos...” e eu ali, com os três maços de meias na mão, meto a mão ao bolso, saco dos únicos dez euros que lá estava, e que coincidentemente era o valor que ele pedia, e meto-lhe a nota na mão. “Ai, muito obrigada, dês nosso senhori lhe dê muita saúde a si e aos seús”, E ZUCA, lá foi ele porta fora, e lá fiquei eu com 9 pares de meias a mais e dez euros a menos, a maldizer a minha sorte, e sem saber se ria se refilava... bom, o que vale é que há 8 pés cá em casa (agora vamos ver como passam o teste da máquina de secar... as meias, não os pés, é bom de ver...)
 
Palavra de honra, eu já fiz um curso de técnicas de venda, mas isto de desatar a chorar de mãos na cabeça, não constava no curriculo. E resulta – ó se resulta!
 
Resumindo e baralhando, ainda me fartei de rir a contar ao meu colega – o do “devias-ser-vai-lá-vai”- depois à minha filha, e à noite, ao marido. Foi uma gargalhada pegada!
 
Acho que tanta gargalhada até valeu os dez euros. E de bónus, ainda ganhei 9 pares de meias!
 
(Acontece-me cada uma!)
 
Enfim...
 
B'jinhos,
 
Fátima

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Follow on Bloglovin

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D