Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de uma "dona de casa" 2.0

... à beira de um colapso

Diário de uma "dona de casa" 2.0

... à beira de um colapso

27
Mai09

A menina Alexandra

Fátima Bento

 

Vi ontem, no noticiário dahora do almoço, na Sic, a repetição da reportagem que na véspera não me tinha sido possível ver.

 

E a minha reação foi a mesma de largos milhares de portugueses: nausea.

 

Nada disto tem a ver com o que nos é dado ver: isto é politica, pura e dura (e já no caso Maddie não foi assim?), em que a menina Alexandra é só um numero - e neste caso, será o numero 1 - e por isso não lhes interessa nada. Aparte o repatriamento, que era assunto prioritário. E o governo Russo teve o que queria, finalmente: pela primeira vez conseguiram recuperar uma criança descendente de um nativo da grande pátria, Russia, de volta à  mesma. E onde é que eles conseguiram que a lei tal premitisse? Neste país de m***a, com um código penal igualmente fétido (e utrapassado, antigo, omisso em tanta coisa tão importante...)

 

Porque este, meus amigos, é o país que temos. E as aventesmas que elegemos para a Assembleia da Répública, criadora de leis por excelência, estão mais preocupados em discutir o sexo dos anjos à exaustão, de que em propôr alterações ao código penal - ah, dá muito trabalho!

 

E nos continuamos a elegê-los e a colocar nos assentos, mais do mesmo, que também alternativas não há, e remetemo-nos à nossa bonomia de robe e chinelos, aos nossos brandos costumes, em que ninguém perde realmente a cabeça além da vociferação de alguns impropérios, mesmo quando está a ser f****o (caso BPP e BPN)...

 

Desenganem-se se acham que eu estou a fugir ao assunto: o caso Alexandra deu-se porque ninguém se dá ao trabalho de alterar o nosso código penal, e o Sr. Putin (que presidente ou primeiro ministro, "ele é que é o presidente da junta", e quem manda ali é ele) viu a abertura e mandou esgueirarem-se por ela e conseguir uma vitória para a mãe Russia.

 

Porque aqui as pessoas não interessam nada.

 

Mas  pessoas somos nós.

 

Aquela mãe, se o fosse realmente (para lá de ter aberto as pernas e feito força) aquando da aflição da Alexandra no Aeroporto, tinha seguido sem ela. Mil vezes perder um braço de que sujeitar um filho meu a uma aflição e sofrimento tamanhos.

 

Quanto às imagens na Russia, o que se vê ali é o pouco interesse da mãe, subjugado ao grande interesse da pátria. Vê-se uma criatura ébria a defecar diarreia mental. Vê-se a mesma criatura a dar umas palmadas à Alexandra.

 

Mas o grande problema, não é o que se vê... é o que não se vê!

 

Longe de acabar, que os média só largam o osso muito depois dele já não ter carne há muito, acredito que este caso está, de facto, "arrumado". Porque, em termos práticos, o lado humano NUNCA se sobrepõe ao legislativo. E a brecha estava lá. E o juíz foi uma besta.

 

E agora já está.

 

Desenganem-se os que ainda acreditam que no dia 3 de Outubro de 1990 ao ser derrubado o Muro de Berlim, ficámos todos unificados, juntos. E que com a Perestroika (reestruturação) e a Glasnost (transparência) , políticas introduzidas por Mikhail Gorbachev, que culminaram com a queda da União Soviética, a  26 de Dezembro de 1991, tinhamos um mundo novo, e o fim da Guerra Fria.

 

Tretas.

 

A História repete-se, esse é um facto adquirido. E a Guerra Fria está a levantar-se de novo, devagarinho, como um submarino a imergir em silêncio.

 

E a Alexandra passou a ser um pequeno grande símbolo do poderio russo.

 

Criou-se neste momento, uma petição online para a Alexandra - nº de assinaturas até  agora, 459...

 

O blog oficial é este

 

 

 

 

 

E sim, tenho vergonha da justiça portuguesa. E de quem a faz, e de alguns que a aplicam.

 

E por ora, é só o que tenho a dizer.

 

 

1 comentário

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Follow on Bloglovin

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D