Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

30
Jan08

...

Fátima Bento

Não me apetece escrever.

Há já uns dias que não me apetece fazer NADA. Quem leu o post que eu apaguei, sabe poquê, quem não leu, só precisa de acreditar que desta vez TENHO RAZÃO. Quem leu, pelo amor do papagaio, POUPE-ME a comentários depreciativos, acreditem que nos últimos 28 anos já passei por merda suficiente para esta bodega ser perdoada pelo universo, ou o diabo a sete.

Quero (re)começar outra vez com um sorriso.

Já agora uma pergunta: quem acha que devia escrever um livro? Só curiosidade, têm-me dito umas coisas...

Estou muito cansada. devia ir dormir um bocadinho mas tenho outras coisas para fazer...

(Rita, se tudo correr como espero, para a semana vou a essa banda, pode ser que a gente consiga tomar o tal café...)

Depois a gente fala

B'jinhos,

Fátima

27
Jan08

Melena reduzida e melhorada

Fátima Bento

Hoje fui cortar o cabelo.

 

'Tá assim um bocadinho Katie Holmes (Mrs Tom Cruise), mas é um carré muito soft, ou seja, em vez de ser completamente cortado a direito, foi todo repicado, nuca de fora, e tenho uma franja enviesada, com umas farripitas, do lado em que o cabelo "parte" e faz risco ao lado.

 

Perdi 6 ou 7 anos, embora a Antónia, que até brilhava de satisfação, jure a pés juntos que perdi 10.

 

Whatever, 6, 7 ou 10...

..."tou uuinda" (não é que mereça, mas 'prontos')!

 

Depois, montou-se o móvel que me vai dar apoio à papelada no quarto, e comecei a arrumar e organizar a minha tralha.

 

Mas 'tou bué triste...

 

Arranjem-me um buraquito.

 

Vá lá...

 

Fátima

25
Jan08

Tirem-me deste filme... ou dêem-me um Óscar!

Fátima Bento

P'las alminhas, ontem tive um dia do camandro (LI-TE-RAL-MEN-TE).

Comecei o dia, mesmo antes de sair de casa, a ler um email que me deixou num estado em que se eu tivesse enfiado os dedos numa tomada, não era nada comparado com o que senti...  e depois, saí e e peguei no carro.

Escusado será dizer que a mocinha estava mesmo bem para passar numa rotunda, e ir por um caminho "novo" para o Centro Comercial (as aspas são porque já lá passei N vezes sem ir a conduzir). Pois, e tal, sentido único, bifurcação, encandiei-me c'o sol nas placas de indicação... e tunga, enganei-me no caminho.

 

"Ai que não era por aqui, ai que não era por aqui, ai que não era por aqui, ai que não era por aqui..." foi o mantra usado durante os minutos que levei a recompôr-me e a fazer o novo percurso mental mais fácil para ir de A a B sem passar por Z (só fui até ao P).

E fi-lo.

Com umas buzinadelas por 'excesso de velocidade lenta' (tão a ver a coisa?), e comigo sistemáticamente a levantar a mão esquerda a pedir desculpa, o que me evitou umas quantas extra, acredito. Bem, lá cheguei ao destino (e tomei a decisão de nunca mais estacionar naquele piso, já me ia despistando por duas vezes na entrada, qualquer dia 'inda m'enfaixo n'algum...) estacionei lá ao fundo (isso já é diversão, um bocadinho atrás,um bocadinho à frente, endireita bem direitinho, treina o toque certo no travão...) e fiquei 10 minutos dentro do carro a meditar "COMO MERDA É QUE EU VOU TER TOMATES PARA LEVAR O BICHO DAQUI ATÉ CASA???".

 

Pernitas a tremer, subo ao piso um, à restauração, tipo "se-não-meto-qualquer-coisa-no-estômago-ainda-me-dá-aqui-uma-coisinha-má-o-que-até-não-era-mal-pensado-porque-assim-já-não-tinha-que-levar-a-carroça", inda fiz uma incursãozita à C&A, só para ver se o mal estar passava, mas tive de sair a correr para os lavabos (o sistema nervoso é uma g'anda porcaria, blergh!!), e a tremer que nem varas verdes lá tomei um café e comi uma torta de Azeitão.

E... saldos com ela! Não que o guito fosse muito, mas por 50 euritos comprei umas botas para a Inês, uma prenda para o meu afilhado, quase a fazer anos (um pijaminha liiindo do Snoopy), o big saco pelo qual procurava apaixonar-me e que finalmente encontrei (em tweed preto e branco e verniz preto), e depois fui perder-me na Zara: duas T-Shirt's de-li-ci-o-sas para a ginástica, um camisolão e um vestido muito chanel, mas que deve ir para troca... parece-me muito curto... Cheia de vontade de não sair dali, olho para o relógio (já agora, um 'bué da giro' comprado nos ciganos p'aí há 4 ou 5 meses e que ainda trabalha!!): 13:30h. Aula de condução daí a 30 minutos, estacinar o carro ao pé da outra casa para fazer o resto do percurso a pé (e no regresso apanhar a correspondência)...

... estava na hora de enfrentar o touro pelos cornos.

E foi com bravura que entrei no estacionamento e me dirigi à viatura, modéstia à parte, a mais bem estacionda de todas. Pus os sacos no porta bagagens, sentei-me no meu lugar, "amandei-me" dois gritos, respirei fundo, e off we go. Direitinha para a saída que costumo usar, espreito pelo retrovisor, e vem uma senhora atrás. Olhei para a "entrada da saída" e pensei "ná... isto com gente atrás não vai lá..." Mais uma volta, mais uma corrida ao parque de estacionamento e... pronto, à segunda foi bem. Mas sem ninguém atrás. Depois, pronto, saída, rotunda, sobe, rotunda, esquerda, esquerda, direita, direita, estaciona.

 

Liiindo!

Ainda tive tempo de tomar um cafézinho na Rita antes da aula (é pá, de carro, mesmo a 25, 30/h, a gente despacha-se mesmo depressa, já repararam?), e depois, aulinha de condução perfeita.

Voltei ao meu quatro rodas, e fui para casa. Para fugir a uma rotunda minúscula em construção, que é um atrofio, fiz o percurso inverso ao habitual, o que me obrigou a encostar ao eixo da via e pisca para a esquerda, num trânsito de doidos. Mas um caramelo simpático deu-me passagem, e eu (ai que deixo o carro ir abaixo, ai que deixo o carro ir abaixo...) curvei na perfeição, e entrei no pátiozinho.

O dia ainda não tinha cabado, 'inda houveram uma série de "pequenos" focos de incêndio a necessitar urgentemente da intrevenção do corpo dos bombeiros, mas pronto.

Acreditem: foi um dia que foi um sufôco!

Chiça!

Fátima

 

25
Jan08

Bócês sáo as máiores!!!!

Fátima Bento

Como todos sabem, tenho andado bué em baixo com esta estória toda, o que faz com que os comentários que me têm deixado sejam tão imprtantes. Por isso, as minhas desculpas a todas, por não ter respondido a grande maioria das vezes, nomeadamente, à PATY, MULHERDETRINTAANOS, ISA, CARMO SANTOS, CATRARIAS DA MODAtelma D, MAMÃ DIANA, alGO e a todinhas o meu

MUITO OBRIGADO PELA FORÇA!!

 

E devo dizer que não, não vou desistir, que vou dar mais 2 aulas por semana até ao exame, que estou a conduzir bem.

 

Prontos!

 

Fátima

(e já, já a seguir, não percam a descrição do meu dia caótico de ontem...)

22
Jan08

Desiludida... E MUITO, MUITO BURRA...

Fátima Bento

Eu não sei porque raio é que é assim.

Eu não percebo por que cargas de àgua é tão importante conseguir a aprovação, sentir que em mim deposita confiança, que acredita que aquela com quem casou pode ser capaz...

Se calhar teve a ver com o facto de nada do que eu fizesse estar à altura da minha mãe. Ou do meu pai ser um bocado ausente, e pese embora o facto de gostar muuuuuito de mim (sentimento não partilhado na mesma medida por quem me deu à luz), sempre vaticinou de qualquer das minhas ideias ou projectos "isso é um disparate!", "isso não vai dar certo!", "então está-se mesmo a ver...!", e mimoseios tais.

Por isso, autoconfiança...zut

E é também por isso é que eu estou deitada na minha caminha desde as 19 h., com medicação que adormecia 2 - DOIS cavalos em menos d'um fórfo, acordada, e assim hei-de estar durante mais umas horinhas.

Foi assim:

(a gaja é estúpida, "a'tão adepois" do miminho de domingo, ainda vai apelar a isto?)

Ele chegou a casa e ela disse: "vamos ao ginásio, eu levo o carro (mas aonde é que a grande aventesma estava com a mona?) e tu trazes." - "E porque cargas de água é que queres levar o carro?" - "Porque é perto, e não há rotundas".

E pronto, lá nos peparámos para sair, e eu seguro nas chaves dele e digo: "Vou levar as tuas, não vale a pena ir buscar as «"minhas"»! Resposta: "Podes levar as chaves, mas o carro não levas. É hora de ponta, nesta avenida há muito trânsito, para que é que se há-de passar pelo sufoco do entra-não-entra? Não levas."

Eu passo a explicar:

o carro está estacionado num pátiozinho, cujo acesso à principal via fica a 90º. Boa visibilidade, há que esperar, claro, mas, tomando as devidas precauções, entra-se bem. Depois, descemos aí 100 ou 150 metros; entroncamento, virar à esquerda. Regra da prioridade claríssima e respeitadíssima (já lá passei centenas de vezes a conduzir). Recta de mais uns 120, 150 metros, entroncamento, virar à esquerda (sem problemas, correndo o risco de me repetir, já lá passei centenas de vezes). Mais 30 metros, viro à direita. E estaciono.

Mas não.Prontos.

Porque era hora de ponta e estava trânsito.

Ao chegar a casa, ao ver-me com cara de Basset Hound "Queres levar o Tomás ao treino?"

(Yá, 3 km e 4 rotundas, em hora de ponta. Por enquanto ainda conheço os meus limites, e esse estava "out of my league")

Depois foi o "não tens o direito de estar assim, o não podes nem deves conduzir sem carta,  eu não te percebo, deves gostar mesmo de estar mal..."

BEM FEITO!

QUEM ME MANDOU ARMAR EM ESPERTA?

TOMA!

 

 

Fátima

 

P.S. Olh'aí as últimas: afinal o "Queres levar o Tomás ao treino?", era só o teste para ver se a cara de Basset Hound tinha alguma coisa a ver com o ele não ter permitido que eu levasse o carro até ao ginásio.

Ah! Lá agora!

( P.S. publicado às 01:42h, ainda sem dormir, mesmo tendo somado mais dois hipnóticos ao cocktail...

21
Jan08

CORRECÇÃO

Fátima Bento

Bom, encontrei há pouco uma amiga que tinha acabado de ler o post, e que me disse: "o teu marido foi indecente!"

E eu fiquei a pensar que devo ter exagerado na descrição,  ele até foi um querido, e deu-me força para seguir em frente, e tal, e que não sou burra  nenhuma, estou é a ser mal ensinada, e tal, e troca mas é de instrutor, e ...

eu é que... fui por aí A

                      B            

                        A

                          I

                            X

                              O                            (assim tipo piso -72, e o c***ão do elevador avariou

Mas, e lá vou eu elogiá-lo, o meu marido é um querido. Ontem montou a minha secretária debaixo da janela do meu quarto, para ver se eu me inspiro e ordeno as minhas prosas. E se saío do piso -72, que tanta m*r*a de crise depressiva com a minha idade, francamente, já enjoa! E depois isto é pior que bexigas, começa tudo a andar triste em saber porquê (se calhar é porque nestas alturas deixo de sorrir: o acto de sorrir "dói "de uma forma estranha, mas não sei explicar de outra maneira...)

 

Às tantas, começa a teenager a chorar por tudo e nada, o Tomás sem saber porquê, mas não consegue evitar, e até as gatas andam de cauda murcha.

Mas prontos.

Hoje já tive uma aulita de condução (haviam de me ver a descer a rua... parecia que ia para a forca...), que correu muito bem.

Amanhã são duas seguidas.

-Ou vai, ou racha...

Fátima

 

21
Jan08

Domingo triste

Fátima Bento

Ontem de manhã eu e o mais que tudo fomos tomar o pequeno almoço aqui perto, aí a 500 metros, embora de carro seja um nadinha mais longe. Chave na mão, lá vai ela, convencidíssima que até sabe conduzir o suficiente para o gasto. E depois do pequeno almoço ainda fomos ao Centro Comercial, também aqui ao lado, com o homem branco e agarrado ao banco.

 

Veredito final:

 

"Então tu com quase 50 aulas AINDA CONDUZES ASSIM? É QUE QUEM CONDUZ ASSIM, NÃO SABE CONDUZIR!" (sim que isto de ir a conduzir com o marido ao lado pela primeira vez não enerva nada!)

 

Tunga!

 

"E a culpa só pode ser do instrutor, tens de mudar de instrutor (a cinco aulas do exame lá cai bem mudar de instrutor?...)

 

E pronto, ok, acredito, não sei conduzir. E pronto, tá bem, acredito, vou lá outra vez e chumbo. Pronto. Ou, e estou a ponderar, nem vou.

 

Agora vou apagar a luz e enroscar-me no edredon, que é o único lugar onde não vejo automóveis, e não fico a pensar que sou a gaja mais estúpida e incapaz do planeta por não conseguir aprender a conduzir um.

 

Fátima

19
Jan08

Gato-eu

Fátima Bento

Esta sou eu, versão felina, segundo a minha filha:

 

 

- escusado será dizer que isto se aplica mais a quando eu tinha mais disponibilidade  (e paciência...)  para os escutar... agora ando tão apardalada, que, coitadinhos, não têm grande direito a concern...

Fátima

18
Jan08

...e vivam os noivos!

Fátima Bento

Bom, eu já a conhecia. Melhor que a ele.

 

Dos seus tempos de Top Model, e posteriormente, da sua incursão pelo mundo da musica.

 

E apaixonei-me pelo primeiro àlbum

"Quelq'un ma dit"

 

sussurrado em françês, nomeadamente a deliciosa "Le ciel dans une chambre", meia cantada em italiano, lingua das suas raízes.

 

Uma delicia!

 

Quanto ao novo album, de 2007 (acho eu),

 

"No Promises"

 

 

não entranhou. Acho que não me convence, o inglês naquela voz.

 

Quanto ao casamento-relampâgo, gravidez ou não, o que é que isso interessa? Se já havia ligação antes? Se foi assim uma paixão fulminante (ai que a inveja é uma coisa muito feia...),

o que é que isso interessa?

 

Parecem felizes, e para bem deles, esperemos que sim.

 

 

Fátima

17
Jan08

C'est même la fin...

Fátima Bento

Li aqui há uns tempos, não sei se na Vogue se na Elle, que os 40 eram os novos 30. E que a vida começa aos 40, e quejandas.

MENTIRA.

Uma deslavada mentira.

O bolo tem 40 velinhas - ou duas, com os numeros 4 e 0. E vocês podem até ter uma boa aparência, aptidões intelectuais indiscutíveis, falar 25 ou 30 linguas e o diabo a sete.

 

Fizeram quarenta. Agora observam, especadas, uma parede de betão de 80 cm de expessura.

Acabou.

Kaput.

Claro que isto não se aplica a quem tem uma profissão, e não se armou em parva e ficou a cuidar dos infantes a tempo inteiro, durante quanto tempo? 14, 15 anos? E indiscutivelmente valeu a pena, são atinadinhos, cultos, cabecinha no sítio. Mas a sociedade não se condói com fazer invstimentos nas gerações futuras.

Fizeste 40. Agora, das duas três:ou tens guito, e descobres qualquer coisa para fazer por conta própria, ou estás lixada com F de galinha.

Como eu.

Pág. 1/3

Mais sobre mim

foto do autor

Follow on Bloglovin

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D