Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

30
Abr08

O meu novo (??) dia-a-dia

Fátima Bento

Novidades, não há. Pedi explicações por email, e há quase uma semana que estou à espera. Tendo em conta que a minha extensão continua vazia, devem ter feito uma bela caldeirada para me fazer sair assim, sem pré-aviso, e com efeito imediato. Óbviamente tenho estado devastada, se já não bato bem em ciscunstâncias normais, assim então...

Mas ando a pontapé. Quando acordo, depois de colar bem as palpebras com toda a força, durante tempo que considero razoável, sinto um pé no trazeiro a empurrar-me da cama. Cambaleante, lá lanço mão ao roupão e me dirijo aos tropeções à casa de banho, numa vã tentativa de manter os olhos (pelo menos um) fechados. Debalde. Depois, e porque oito patinhas me obrigam, vou à cozinha e alimento as felinas. De caminho, trago o Activia com que tomo as vitaminas e o comprimido para a tiróide. 

Nesta altura sinto de novo o pé no trazeiro, e eis que me vejo em frente à roupa que devo pôr para sair de casa.

Deixo o almoço pronto a acabar ao filhote, e ponho-me a milhas.

(devo dizer que esta parte foi particularmente díficil nos primeiros dias, com direito a nauseas tonturas, taquicardia... bom, uns mini-ataques de pânico)

 

 

 

Segunda, fui ao cinema, ver o "27 Dresses"

 

- da argumentisata de "O Diabo veste Prada", que tem a terrível tradução de "Vestida para Casar". O filme é giro, divertido, mas teria sido melhor se eu não tivesse com o estado de espírito que estava. Mas isto de andar a pontapé, é assim.

Fiquei foi derretida com o trailler do "MammaMia" , com a Fabulástica Maryl Streep, o Pierce Brosnan e o Colin Firth, e deslumbradíssima com o trailler de "O Sexo e a Cidade". Depois, cheguei a casa... e deitei-me.

Ontem depois de uns valentes pontapés e encontrões, fui dar outro tipo de voltas: ao mercado (onde fiz uns negócios aparvalhantes, de verdade!- vejam amanhã  de tarde o 'step in to my closet', que eu juro que conto tudo!) fui ao café do costume (incontornávelmente contar as minhas desgraças), pôr umas calças a arranjar, verificar o correio da outra casa... Depois voltei para casa... e deitei-me.

Hoje, fui, outra vez, ao Centro Comercial. Precisava de comprar uns postais para mandar aos colegas de trabalho, afinal não tive tempo de me despedir de ninguém... agarrado a isso, colaram-se mais algumas coisitas, e depois ainda fui comprar a senha do passse da Inês, verificar o correio da outra casa... e depois vim para casa.

E não me deitei.

Pode isso querer dizer que estou a começar a reagir - ou não.

Mas já foi um pequeno passo.

Mas agora é que já está a ficar necessário deitar: estou mesmo cansada.

Até amanhã,

 

Fátima

 

 

 

P.S: O traseiro, tem sido o meu - e o pé, também... lol

27
Abr08

Isto só a mim...

Fátima Bento

Dormi uma boa parte da tarde. Acordei com os movimentos do marido no corredor a montar o móvel. Às páginas tantas lá me decidi a deixar a cama - onde adoremeço a pensar no 'porquê?', onde sonho com o durante o tempo que lá estive, e onde acordo para o agora.

Shattered drems.

Levo o dia como posso faço o que é preciso, mas não me peçam milagres.

E depois fui ao supermercado comprar um gelado (é p'á egorda, pessoal, é p'á engorda...) e quando volto, estava a Inês ao telefone com a avó que me ataca com um " eu ouvi uma conversa, sabe, a mulher do Henrique tinha, sabe é para limpezas...e" Corto-lhe a palavra com vontade de a engolir viva "ISSO EU NÃO FAÇO".

Mas a conversa continua, com aqueles enrolanços tipicos da Elvira, que precisam de uma pessoa de confiança, por causa do ouro e das coisas de valor. Repito-me. "É pá, mas que coisa, e porque é que não a deixaram fica até eo fim do mês? As coisas não se fazem assim às pessoas..." Eu já fora de mim "Olhe, não sei, telefone ao meu patrão e prergunte-lhe!" "Olhe, mas você não se enerve, havemos de arranjar alguma coisa para si,,," " Se me aguentei estes anos todos deixe lá que não há-de ser por isso" "Ah mas não pode ser, você tem de arranjar 'qualquer coisinha' - ah como eu odeio os diminutivos, Despedi-me da senhora,  e enquato literalmente esmagava o auscultador no descanso, berrei dois BIIIG palavrões.

Então eu ando aqui a fazer das tripas coração para ter força para superar esta merda, e vem-me ela moer-me o juízo a fazar perguntas sobre aqueles filhos da mãe que eu nem sei, quanto mais responder!!!

EU SÓ ESPERO QUE NÃO HAJA PRÓXIMA, porque senão, p'a minha rica saúde, acabam-se os jantares na sogra.

Todos temos um limite, eu tive plena noção que o último ponto do meu, foi atingido na quinta-feira (ainda estou para saber como consegui chegar a casa). Agora estou a juntar os cacos, pode ser que dê para um vitral.

Mas dispenso estas claramente e indiscutivelmente invasões da minha privacidade.

Deixem- me sentir a dor, a dúvida, a frustração, mas DEIXEM-ME EM PAZ que em vez de ajudar, só desajudam!

Fátima

P.S: Uns comentários - desde que não seja a oferecer trabalho de limpezas - eram MUITO BEM VINDOS.

27
Abr08

Não me queixo de falta de surpresas...

Fátima Bento

Vou começar em hoje e andar para trás, ok?

Hoje fui ao Ikea, comprar a famigerada cómoda - por acaso saíu melhor a emenda que o soneto, que eu levava uma em mente, que foi descontinuada, e trouxe outra, um pouco mais cara, mas onde me vai caber este mundo e o outro. Digo eu.

Também comprei (finalmente!!) o wok, e um mega quadro para pôr no corredor. No final da tarde vamos proceder à montagem.

Ontem: fui ao cabeleireiro. Fiz coloração e cortei, o que, graças a deus, me levou metade da tarde.

Sexta: eu e o maridão fomos almoçar ao Allegro. Fomos a um restaurante chamado "Hollywood-qualquer-coisa", que é muito agradável e recomendo. Depis perdemo-nos na Fnac, e eu comprei o "Cinderela em Paris", com a Audrey Hepburn e o Fred Astaire.

Quinta: fui trabalhar, as usual, o dia de trabalho correu bem, como de costume, às 17h20 chamaram-me aos Recursos Humanos - e demitiram-me. Assim, sem anestesia. Nas três semanas que lá estive, nunca fui corrigida, nunca me foi dado qualquer indicador de que havia algo que devesse mudar. A razão invocada foi que «ainda não tinha entrado em "velocidade de cruzeiro"».

 

O Vitor recebeu um SMS lacónico "fui despedida", e ainda fiquei até às 18:20 na empresa a dar apoio a uns colegas da area comercial Empacotei as minhas tralhas e saí.

Resumindo: gastei para cima de cem euros em transportes, perdi 3 semanas, o sistema de saúde do conjuge, compliquei um 'cadinho' o IRS, e estou mais-do-que-arrasada.

Isto não se faz. Não assim, não sem apresentar uma razão lógica. Mas eu sei - oh se sei!  - que a vida não é justa.

Mas por esta não esperava. De todo.

Sentia-me gente.

Agora não sei bem o que me sinto.

Fátima

23
Abr08

A gozar c'a tropa

Fátima Bento

O meu PDA bateu a bota enquanto telefone. E como eu tenho de andar com dois telemóveis - um Vodafone e um UZO - deixo o PDA em casa. Por isso, hoje de manhã não pude captar a imagem que nos põe no nosso lugar, quando nos queixamos dos nossos empregos.

Então é assim: há quem distribua publicidade caixa do correio a caixa do correio. Há quem distribua jornais: o Global, principalmente, mão a mão à saída do metro, e nos semáforos aos automobilistas imobilizados. Mas hoje vi um "desgraçado" que, vai lá vai, isto já é gozar c'a tropa!

Estava no Marquês de Pombal, à saída do Metro - ao pé da menina do Global (que hoje não era a mesma, e eu senti falta do seu sorriso, palavra), uma santa criatura, parada feito dois de paus, a segurar uma guita. E o que pendia na ponta da guita (por acaso, "pendia" não era mesmo o termo)? Um balão. Grande. Que dizia qualquer coisa como "grande festa de preços, aniversário Media Markt". Ou quejandos. E eu atravessei a estrada até ao Parque Eduardo Sétimo, esperei 20 minutos pelo autocarro, o dito chegou, deu a volta, virou em direcção às Amoreiras, e o gajo ainda lá estava. Vai lá vai!

Mais acima, nas Amoreiras, o panorama mudava um bocadinho: em vez de um, tinhamos dois. E em vez de balões, seguravam bandeiras - o que, dado o facto de não haver uma brisa, tornava ilegível o que diziam. Não fora um deles agitar a coisa, num arroubo de genialidade publicitária, e eu não percebia que aquilo era a continuidade do marketing do Marquês.

Vá, queixem-se lá do vosso emprego, se têm coragem!!!!

Caroço!

Fátima

23
Abr08

Bolas...

Fátima Bento

Parece que a Hillary Clinton ganhou.

Parece mesmo que é verdade.

Eu com a senhora não ia nem aqui à loja da esquina comprar um par de meias... mas pronto.

Por isso, não estou satisfeita.

Deviamos, pois, votar todos para eleger o presidente dos USA, uma vez que as suas decisões afectam todos nós. Claro que o peso do nosso voto não poderia nunca ser igual ao dos estadunidenses, mas deviamos ter uma palavra a dizer!

A cofirmar-se a coisa, só espero que o discurso emotivo de Chelsea Clinton ainda antes da votação e posteriores resultados da Pensylvania, seja realmente verdade. A mim arrancou-me um sorriso sincero.

O problema é que as filhas são parciais.

Vão lá perguntar à minha filha quem é que era melhor presidente do nosso país à beira mar plantado: a mãe ou o pai?

Vá lá, adivinhem a resposta que eu não digo mais nada...

Fátima

22
Abr08

Últimas! Fresquinhas!

Fátima Bento

Abri um blogue novo (mais um???) pois é, e este faz todo o sentido.

 

Chama-se "Step in to my closet "(do inglês entrem no meu armário) e o hiperlink é http://stepintomycloset.blogs.sapo.pt/.

É assim a modos que isso mesmo: a minha rotina de beleza - com marcas preços e moradas - e o sufoco da roupa que vou desencantando para vestir neste tempo que nem é carne nem peixe... virtualmente escarrapachada no blogue.

Não, não são conselhos para mulheres de 40. Mas quem quiser, que se inspire.

Eu por lá andarei, e se quiserem fazer perguntas, aqui a JE responde com todo o prazer. Ide lá, ide!

Fátima

 

 

22
Abr08

De doidos...

Fátima Bento
  1. Ontem deitei-me à meia-noite, resumindo: hoje pareço um zombie.
  2. Ontem deitei-me com o cabelo molhado, resumindo: pareço um zombie com uma alcachofra no cocuruto da cabeça.

 

E, last but deffinetly not least: estou cheia de sono.

 

Em termos de organização, a minha casa anda um pagode: é cada um por si e deus por todos. Quando chego a casa: oito, oito e meia, nem quero ouvir a palavra jantar, quanto mais comê-lo - e muito menos fazê-lo. Tive um fim de semana em que fiz assim duas tachadas, que mudando os acompanhamentos davam para a semana toda. E os acompanhamentos "cabiam" à filha. Desde arroz espapaçado a arroz espapaçado, foi um regabofe gastronómico!

 

Vai daí decidi: no próximo fim de semana, além dos pratos principais - qualquer coisa como as duas tachadas de comida (diferentes, claro!) - também ia fazer duas tachadas de arroz - uma de cenoura, e a outra de tomate. Pronto, assim era só dar uso ao microondas.

 

Só que o Tomás teve prova de natação (o que me 'comeu' metade do dia), e depois eu acabei por me chatear e ir para a cama mais cedo: nem tachadas de comida nem de arroz.

 

Liiiiindo!

 

Segunda-feira (ontem) quando saltei da cama nem sabia o que havia de vestir. Como não tinha tempo para grandes hesitações, enfiei umas calças castanhas risca-de-giz e uma camisola de lã tom camel, com um pullover por cima da mesma cor. botas castanhas, bolsa castanha, e sobretudo... cinzento.

 

Mas deu p'ó gasto.

 

Hoje não, hoje já reforcei um nadinha a produção - que isto às 6 da manhã não dá para reforçar muito... - mas 'tou 'mái bita' . E cheia de frio, com o aquecedor encostado às pernas - efeitos de não ter descansado o suficiente...

 

(ontem eram 22:30h, 'tava eu no Continente!!!)

 

Enfim, isto c'o tempo vai.

 

B'jinhos,

 

Fátima

21
Abr08

O outro (duro) lado da moeda...

Fátima Bento

Porra.

Desculpem lá mas só me apetece dizer palavrões.

A minha filha teve contacto com uma doença infecto contagiosa e foi agora ao médico. E eu liguei-lhe (ao médico) a dizer que ela já lá estava, e ele perguntou-me - e muito bem - MAS ELA VEM SÒZINHA?? - E eu, do tamanho de um ratinho: vai. Eu 'tou no trabalho.

Porra.

No outro dia tive de deixar o pequeno na cama cheio de febre. Hoje esta tem de ir ao médico sózinha, numa situação por demais complicada.

Eu estou "toda satisfeita" (não neste caso) no meu trabalho, mas esta gaita custa c'um'o caraças.

Bolas...

Fátima

 

 

18
Abr08

Kaput!

Fátima Bento

Estava aqui um post que eu retirei por tal me ser pedido por alguem por quem tenho não só um grande respeito, como também uma grande amizade.

Apesar de não estar de acordo com algumas das razões invocadas, removo, pois, o mesmo.

Fátima

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Follow on Bloglovin

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D