Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma "dona de casa" 2.0

... à beira de um colapso

Diário de uma "dona de casa" 2.0

... à beira de um colapso

05
Jun09

Hoje...

Fátima Bento

Pois é hoje - vejam lá bem! - ainda estou abananada!

 

 

Ontem lá fui buscar a prótese - tenho neste momento um sorriso uindo... isto se eu sorrisse, que não me apetece...

 

A dentista pediu-me desculpa pela véspera, mas que aquilo tinha sido qualquer coisa!...

 

- Pois, yá. Já sem que não tens experiência... e que entraste em pânico... eu 'tava arrasca mas vi... mas deixa lá que já passou... -

 

O puto lá foi e voltou do Slide and Splash, que adorou, lagostinha lagostinha, mas era de esperar, primeiro dia de sol ainda por cima em piscina... até com uma protecção écran total viria lagostinha...

 

A filhota foi agora de tarde para duas entrevistas de emprego, e ditribuir mais CV no Almada Fórum. Vamos lá ver se desta vez tem sorte...

 

E eu tenho três ou quatro coisas para fazer, mas até tenho medo de sair de casa. Já tomei café - deixei arrefecer, pois, que remédio, uma cápsula da gama "Pure Origins", esta

 

 

 

que é qualquer coisa (!!!!!) - mesmo quase frio - de maneira que a tensão subiu um bocadito. Problema is que já foi há umas horas... vamos a ver como me sinto enquanto me arranjo para sair...

 

Agora, se eu já estava com anemia (baixinha, que nem me mandaram tomar nada) agora estou assim, meio do avesso. Enfim, a coisa vai-se levando... hoje melhor que ontem, amanhã melhor ainda !

 

 

 

04
Jun09

Filme de terror

Fátima Bento

(quem for sensível e/ou tenha medo de ir ao dentista, não leie...)

 

Pois e ontem, estava aqui a menina muito bem na sala... 'per'aí...uma estória começa-se do  início...

 

Nasci com uma deficiência de calcio e com outra coisa qualquer que fazia com que o esmalte não agarrasse aos dentes... de maneira que, durante a minha infância, broquei muita cárie (na altura não usavam anestesia), e arranquei alguns definitivos... e como os dentistas na altura eram todos uns amores, principalmente o meu, e tinham assim um talento especial para lidar com crianças, eu tinha pavor do dito. Lembro-me de uma vez (foi a última...) de estar a extrair um molar - naquela altura davam a anestesia e mandavam-nos para a sala, até a mesma fazer efeito, e ou não pegou, ou o cliente atendido durante a espera demorou demais, a verdade é que doía. E o sacana do dente estava teimoso, e não queria sair. E era a assistente a segurar-me a cabeça, o homem com o pé no braço da cadeira  (juro!) a fazer força com o alicate, e eu numa berraria infernal. Acabaram por chamar a minha mãe para me segurar, que eu parecia um polvo...

 

Ou seja, mudei de dentista.

 

Mudei para uma dentista muito querida na Av. da Républica, e sei que lhe dei algum trabalho. Mas eis senão quando, aos 12 anos, os meus dentes começaram a desfazer-se em pó. A gente passava o dedo, e ele vinha cheio de pó branco. A D.ra encostou às boxes e disse que não podia fazer nada por mim, e que a hipótese de tirar os dentes, e pôr uma prótese - era a minha deixa para dizer: só com anestesia geral! - era inviável: em 30 anos, as gengivas mirraríam, e aos 40, não haveria prótese que se segurasse. Só havia uma solução, morosa, cara, e que tinha que ser aceite por mim, porque sem a minha total concordância, não era fazível. E só havia um médico a fazer esse trabalho.

 

Lá marcámos a reunião com o dito, e a primeira coisa que ele me disse foi: eu não sou um tipo simpático. E depois explicou-me o processo a ser feito. Ah, pois claro que não! Mas ele lá me convenceu a "experimentarmos para ver como nos davamos um com o outro". Guardou-me uma manhã de sábado, e gritei que nem uma desalmada o tempo todo. O homem, que "não era simpático", com todos os cuidados - até conseguia dar anestesia sem doer! - e "se doer levantas o braço que eu paro" e eu levantava e ele parava... ou seja, os sábados passaram a ser meus, e nunca mais gritei. Tinha uma confiança cega no médico, e ele merecia-a inteiramente. Foram tratamentos de 4, 6 horas, a desvitalizar - há 30 anos a desvitalização não era corriqueira como agora - os meus dentes todos, até os cisos foram desvitalizados antes de nascer, quando tinham só uma pontinha de fora, cirurgicamente (ora, estão a ver, os meus cisos apareceram por volta dos 17, 18 anos, portanto estamos a falar de pelo menos 6 anos de trabalho...). Depois da devitalização feita, era aplicado na raíz uma coroa em ceramica. No lugar em que definitivos tinham sido extraídos, era colocada uma ponte - uma pequena prótese fixa em que um dos dentes ficava "suspenso". A minha boca ficou pra cima de um dinheirão - a minha mãe parou de contar nos 2000 contos = 10 000 euros. E o tratamento estendeu-se ao longo do tempo, já com a aminha filha nascida, bébé de colo, a termos de interromper uma cirúrgia para eu amamentar...

 

E depois, deixei de ter "motor" para suportar a continuação do tratamento - hoje teria uns quantos implantes, e uma prótese fixa, mas financeiramente não pude ir por aí. Por isso, aqui há pouco mais de uma meia duzia de anos as coroas começaram a cair, porque a raíz deixou de suportar a coroa. E acto continuo, extraía a raíz. Acabei por pôr uma prótese móvel completa no maxilar inferior, e uma esqulética no superior. Até que, uma ponte de quatro dentes - que apanhava um dos incisivos da frente, caíu. E tive de passar da esquelética para uma prótese normal, não completa, porque uma outra ponte de quatro dentes resistiu heróicamente.

 

Agora um àparte: passar de prótese fixa para móvel é traumatizante. A gente aguenta - também já utrapassou tantas situações na vida, que desdramatiza a coisa. Mas, psicológicamente, custa como o caraças!

 

E - agora sim! - ontem, estava aqui a menina muito bem na sala... e cai a última ponte. Bem, a menina ficou verde. E ligou para a dentista. Passada meia hora já lá estava. E depois de fazer os moldes, começou o filme de terror.

 

Para abreviar a coisa, e não deixar ninguém mal disposto, a anestesia doeu c'umó raio. Era ela a espetar e as lágrimas a caírem. Depois foi a extracção de três - TRÊS raízes, que se partem todas quando lhes tocam. Litradas de sangue, vai de aspirador e jactos de água, que ela não conseguia ver nada. E eu tremia, tremia... e ela lá foi escarfunchando meio às cegas, e o sangue espirrou-lhe para a bata, para o meu braço... 30 minutos depois lá cozeu o trabalho, e eu paguei quase 400 euros. Tremia-me tanto a mão que respirei fundo antes de começar a assinar, e não me resposabilizo se o banco recusar o cheque devido à assinatura estar esquesita... mas não recusa, quando muito telefona...

 

Foi mesmo um pavor. O Vitor bem me perguntou se eu queria que ele entrasse comigo  e eu que não era preciso - parva! Se eu soubesse o que me esperava... - quando saí, do consultório, o homem caíu-lhe tudo ao chão, que eu estava com um ar super assustado. Lá teve de parar num café peara me comprar Calipos, mas mesmo assim, esta gaita tá difícil, que por ter falado agora um bocado com a Inês, já tenho outra vez uma hemorragia no céu da boca... porra! Ela está-me a fazer um batido de morango com montes de gelado e cubos de gelo, para ver se a coisa vai.

 

Logo vou colocar a prótese - yá, em cima dos pontos e desta gaita toda... só de pensar...

 

A ver vamos se não me dá a travadinha, que eu só me seguro em pé por curtos períodos de tempo... deve ter sido pela quantidade de sangue que perdi... e vou perdendo...

 

Fogo!

 

Ah, já desabafei.

 

Mas é mesmo assim: a gente a pensar que vai ter um serão normal, e tunga, uma cirurgia de urgência.

 

Vai buscar!

 

 

03
Jun09

Hoje...

Fátima Bento

Hoje acordei muito cansada. Não sei se é da tiróide, se é tpm - e o c*b*ã* do coiso que não aparece, pode ser perimenopausa ou tiróide, ou stress - mas a verdade é que me estou a sentir um bocadinho blergh.

 

O que me sabia mesmo bem?

 

 

Mas pelos vistos, estou com azar, que a lotação está esgotada...

 

Não há remédio, tenho que ir à procura da toalha de praia para o puto levar amanhã para o "Slide & Splash", tenho de ir preparar os salgados, e pôr os termoacumuladores na arca.

 

Por isso, olhem,

 

...FUI!

 

 

 

 

02
Jun09

Ele há gente com muita sorte!!!!

Fátima Bento

Pois é !

E eis senão quando, após uns mesitos de espera,

ela é minha!!!!

 

 

"Ingalinha, ingalinha"! Cor e tudo!

 

Depois de chegar a casa e ler a papelada, descobri que vou gastar à volta de 40 euros por encomenda (não sei para quanto tempo dá), que são 100 cápsulas (+iva+portes)

 

Bom, eu bebo 2 por dia, como cá em casa vai haver mais a beber, dará para 40 dias, por aí... sempre fica mais barato de que o que gasto lá fora... e olhó bolito que não como... 

 

Por isso, agora à tarde vai ser para limpar a bancada, descartar os pequenos electrodomésticos não usados para os cantos recônditos que os armários tiverem disponíveis, ou para a despensa, e pôr a bichana a funcionar... mmmmm! E quando o marido chegar do trabalho, antes de ir para o ginásio, ainda bebe um "lungo"...

 

Vou indo, que tenho de ir à rua tomar café - ah, mas é a útima vez que tenho! - e ao pão.

 

 

 (com este sol, só mesmo de óculos!)

 

01
Jun09

Dia Mundial da Criança

Fátima Bento

Porque hoje é um de Junho, Dia Mundial da Criança, lembrei-me de lembrar todas aquelas que viram os seus direitos reduzidos a cinzas, e cujos casos atingiram proporções mediáticas. No entanto, há tantas que sofrem o mesmo e das quais nunca se soube - nem se vai saber...

 

Por isso, optei apenas por publicar aqui os direitos da criança, simplificados, dirigidos a elas.

 

ARTIGO 1º
Todas as pessoas com menos de 18 anos têm todos os seus direitos escritos nesta convenção.

ARTIGO 2º
Tens todos esses direitos seja qual for a tua raça, sexo, língua ou religião. Não importa o país onde nasceste, se tens alguma deficiência, se és rico ou pobre.

ARTIGO 3º
Quando um adulto tem qualquer laço familiar ou responsabilidade sobre uma criança, deverá fazer o que for melhor para ela.

ARTIGO 6º
Toda a gente deve reconhecer que tens direito à vida.

ARTIGO 7º
Tens direito a um nome e a ser registado, quer dizer, o teu nome, o dos teus pais e a data em que nasceste devem ser registados. Tens direito a uma nacionalidade e o direito de conheceres e seres educado pelos teus pais.


ARTIGO 8º

Deves manter a tua identidade própria, ou seja, não te podem mudar o nome, a nacionalidade e as tuas relações com a família e menos que seja melhor para ti. Mesmo assim, deves poder manter as tuas próprias ideias.

ARTIGO 9º
Não deves ser separado dos teus pais, excepto se for para teu próprio bem, como por exemplo, no caso dos teus pais te maltratarem ou não cuidarem de ti. Se decidirem separar-se, tens de ficar a viver com um deles, mas tens o direito de contactar facilmente com os dois.

ARTIGO 10º
Se os teus pais viverem em países diferentes, tens direito a regressar e viver junto deles.

ARTIGO 11º
Não deves ser raptado mas, se tal acontecer, o governo deve fazer tudo o que for possível para te libertar.

ARTIGO 12º
Quando os adultos tomam qualquer decisão que possa afectar a tua vida, tens o direito a dar a tua opinião e os adultos devem ouvir seriamente o que tens a dizer.

ARTIGO 13º
Tens direito a descobrir coisas e dizer o que pensas através da fala, da escrita, da expressão artística, etc., excepto se, quando o fizeres, estiveres a interferir com o direito dos outros.

ARTIGO 14º
Tens direito à liberdade de pensamento e a praticar a religião que quiseres. Os teus pais devem ajudar-te a compreender o que está certo e o que está errado.

ARTIGO 15º
Tens direito a reunir-te com outras pessoas e a criar grupos e associações, desde que não violes os direitos dos outros.

ARTIGO 16º
Tens direito à privacidade. Podes ter coisas como, por exemplo, um diário que mais ninguém tem licença para o ler.

ARTIGO 17º
Tens direito a ser informado sobre o que se passa no mundo através da rádio, dos jornais, da televisão, dos livros, etc. Os adultos devem ter a preocupação de que compreendes a informação que recebes.

ARTIGO 18º
Os teus pais devem educar-te, procurando fazer o que é melhor para ti.

ARTIGO 19º
Ninguém deve exercer sobre ti qualquer espécie de maus tratos. Os adultos devem proteger-te contra abusos, violência e negligência. Mesmo os teus pais não têm o direito de te maltratar.

ARTIGO 20º
Se não tiveres pais, ou se não for seguro que vivas com eles, tens direito a protecção e ajuda especiais.

ARTIGO 21º
Caso tenhas de ser adoptado, os adultos devem procurar ter o máximo de garantias de que tudo é feito da melhor maneira para ti.

ARTIGO 22º
Se fores refugiado (se tiveres de abandonar os teus pais por razões de segurança), tens direito a protecção e ajuda especiais.

ARTIGO 23º
No caso de seres deficiente, tens direito a cuidados e educação especiais, que te ajudem a crescer do mesmo modo que as outras crianças.

ARTIGO 24º
Tens direito à saúde. Quer dizer que, se estiveres doente, deves ter acesso a cuidados médicos e medicamentos. Os adultos devem fazer tudo para evitar que as crianças adoeçam, dando-lhes uma alimentação conveniente e cuidando bem delas.

ARTIGO 27º
Tens direito a um nível de vida digno. Quer dizer que os teus pais devem procurar que não te falte comida, roupa, casa, etc. Se os pais não tiverem meios suficientes para estas despesas, o governo deve ajudar.

ARTIGO 28º
Tens direito à educação. O ensino básico deve ser gratuito e não deves deixar de ir à escola. Também deves ter possibilidade de frequentar o ensino secundário.

ARTIGO 29º
A educação tem como objectivo desenvolver a tua personalidade, talentos e aptidões mentais e físicas. A educação deve, também, preparar-te para seres um cidadão informado, autónomo, responsável, tolerante e respeitador dos direitos dos outros.

ARTIGO 30º
Se pertenceres a uma minoria, tens o direito de viver de acordo com a tua cultura, praticar a tua religião e falar a tua própria língua.

ARTIGO 31º
Tens direito a brincar.

ARTIGO 32º
Tens direito a protecção contra a exploração económica, ou seja, não deves trabalhar em condições ou locais que ponham em risco a tua saúde ou a tua educação. A lei portuguesa diz que nenhuma criança com menos de 16 anos deve estar empregada.

ARTIGO 33º
Tens direito a ser protegido contra o consumo e tráfico de droga.

ARTIGO 34º
Tens o direito a ser protegido contra abusos sexuais. Quer dizer que ninguém pode fazer nada contra o teu corpo como, por exemplo, tocar em ti, fotografar-te contra a tua vontade ou obrigar-te a dizer ou a fazer coisas que não queres.

ARTIGO 35º
Ninguém te pode raptar ou vender.

ARTIGO 37º
Não deverás ser preso, excepto como medida de último recurso e, nesse caso, tens direito a cuidados próprios para a tua idade e visitas regulares da tua família.

ARTIGO 38º
Tens direito a protecção em situação de guerra.

ARTIGO 39º
Uma criança vítima de maus tratos ou negligência, numa guerra ou em qualquer outra circunstância, tem direito a protecção e cuidados especiais.

ARTIGO 40º
Se fores acusado de ter cometido algum crime, tens direito a defender-te. No tribunal, a polícia, os advogados e os juizes devem tratar-te com respeito e procurar que compreendas o que se está a passar contigo.

ARTIGO 42º
Todos os adultos e crianças devem conhecer esta Convenção. Tens direito a compreender os teus direitos e os adultos também.


Assim, pode-se dizer que o Dia Mundial da Criança serve para lembrar um grande problema mundial: o esquecimento dos direitos das crianças.

do site "Júnior.TE"

 

 

 

 

01
Jun09

Vou dormir...

Fátima Bento

Mas antes, informo que este fim de semana, sim senhora, escrevi "no País das Palavras" . No sábado sobre leituras, ontem (acabei agora...) sobre a distribuição de preservativos nas escolas.

 

Mas com este calor, com  PC ao colo, a escaldar, nem vos conto...

 

Está mesmo na hora do xi-xi-ó-ó.

 

 

Até mais logo, e uma boa semana para todos!

 

Pág. 6/6

Mais sobre mim

foto do autor

Follow on Bloglovin

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D