Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma "dona de casa" 2.0

... à beira de um colapso

Diário de uma "dona de casa" 2.0

... à beira de um colapso

16
Out09

... e tão felizes que nós somos!

Fátima Bento

Hoje, dia 16 de Outubro, eu e o maridão fazemos 16 anos de casados. 16 anos em que rimos, choramos, passámos por alegrias, tristezas, andámos de montanha russa, crescemos juntos, amámos, e continuamos a amar.

 

Por isso hoje, estamos os dois de parabéns! Tanto ano é obra! 

 

 

E hoje em vez da despedida habitual, deixo só um beijão grandão para o marido. Mas só um, que os outros, prefiro dá-los pessoalmente...

 

Fátima

 

15
Out09

Hoje vou dar-vos musica

Fátima Bento

É uma coisa que não se vê muito por este blogue, mas ontem à noite andei à procura de CD's, e, em boa hora, tropecei neste.

 

E isto tudo porque o presente de natal do ano passado, além de ter a pen espetada, e de ter rádio, também lê CD's. E eu fui à cata dos ditos... encontrei aí uns 40% do espólio, mas sempre encontrei uns bons, da Dianna Krall, do Sting, dois dos Lighthouse Family, e as bandas sonoras do "Notting Hill", e do "Diário de Bridget Jones I" - e mais uns quantos que não valem nada.

 

E vai daí, voltei a ouvir esta musiquinha. Vá lá, ouçam. É assim daquelas que me fazem voar. Está legendada, embora eu preferisse que não tivesse letrinhas, mas mal por mal está bem traduzido.

 

 

Já volto, ok?

 

B'jinhos,

 

Fátima

14
Out09

Gravidez Novas Oportunidades!

Fátima Bento

Hoje sonhei que estava grávida (eu sempre quis o terceiro filho, e isto de ter a fabrica quase a fechar, anda-me a variar o miolo...)

 

 

No meu sonho, eu ia ao mdico, e ele atendia-me do seu lado da secretária, vinha a enfermeira e fazia-me festinhas nas costas e dáva-me os parabéns... depois a cena repetia-se mas a enfermeira em vez de me dar os parabéns dizia-me "está a correr tudo bem!". E eu andava ali meio parva, porque raio não me mandam fazer eco's, nem ctg's, nem ouvem o coração do bebé? Até que dou por mim no hospital, com a enfermeira a levar-me para a sala de dilatação - para indução do parto, que eu cá não tinha dores nenhumas... - e eu a dizer-lhe só espero que seja um bébé pequenino, que eu só tive bebés grandes... e

 

- Queres que ligue a máquina do café?

 

- hmmmm, sim...

 

Ou seja, no meu sonho incompleto, não cheguei a saber se estava realmente grávida, porque ao longo do mesmo ninguém se interessou em saber se eu estava de barriga cheia ou de barriga vazia... e eu levei o sonho todo a perguntar-me isso mesmo.

 

 

 

E vai daí, entre o momento em que ele ligou a máquina, e eu me levantei para tirar um café, tive uma epifania: o acompanhamento da minha alegada gravidez podia ser equiparado ao programa "Novas Oportunidades", em que deixam o pessoal em auto-gestão, e só no finzinho é que se fica a saber se aquela toca tem coelho ou não. Mas nas "Novas Oportunidades, há um bónus: mesmo que estejas "de barriga vazia", eles entregam-te um "bebé" à mesma... que no fundo no fundo o que interessa é que Portugal seja um país , se não de doutores, pelo menos de Ensino Secundário completo.

 

E vivam as estatísticas!

 

B'jinhos,

 

Fátima

 

14
Out09

Recomendo...

Fátima Bento

Para quem está deprimido, ou em tristeza profunda, aconselho vivamente a leitura de "fuck it, que se lixe", de John Parkin.

 

Ajuda a aligeirar-nos o fardo, e a relativizar as coisas. Claro que se a depressão for profunda, não terá grandes resultados imediatos... mas fica a semente plantada. Esse livro e "O Movimento Slow", são livros que saboreio de vez em quando (mais o segundo, admito).

 

B'jinhos,

 

Fátima

12
Out09

A bipolaridade/ síndrome maníaco-depressivo

Fátima Bento

Ontem comecei a ler um livro novo (tenho de dar pelo menos 24 horas entre livros) que se chama "Uma Mente Inquieta" de Kay Redfield Jamison. Trata-se de um relato na primeira pessoa de uma reputada psiquiatra americana que desde os 17 anos sofre de doença bipolar, ou síndroma maníaco-depressivo, como lhe quiserem chamar.

 

Ainda li pouco, só a primeira parte, umas 46 páginas, e até aqui ela teve uma manifestação - a primeira - grave. Angústia-me. Aliás, quando comprei o livro já sabia que me ia ressentir com a sua leitura. Só que perciso de o ler, e mais tudo o que puder sobre o assunto.

 

 

É assim um bocadinho como pegar o touro pelos cornos, não estando estes serrados. Se a maior parte das pessoas imaginasse sequer o apavorante que é entrar naquele vórtice depressivo, que nos faz acreditar, sentir mesmo, que todos os que connosco lidam todos os dias viveriam tão melhor se cá não estivessemos... e aí seguramo-nos com toda a força para não dar um passo em falso, e não fazer nada de que nos arrependamos... se ao menos imaginassem...

 

E no caso da bipolaridade significa ainda mais sofrimento, porque a pessoa não cai daqui de onde me encontro, no buraco... a pessoa trepa, trepa, trepa até às estrelas e de repente... BUM, lá em baixo no fundo. E o descontrolo torna-se de tal ordem que provoca crises psicóticas, que, tirando o risco de suícidio inerente à depressão "comum", faz com que o doente seja um perigo para si e para os outros. Portanto, pode suicidar-se durante uma crise depressiva, pode muito bem acabar morto durante uma crise psicótica, por desespero, assim como numa crise de mania, porque se sente imune, imortal.

 

Lidar com esta doença, é andar permanentemente a pisar ovos, pé ante pé, tentando desesperadamente não fazer estragos, aceitando situações insustentáveis, só para evitar o desiquilíbrio do outro.

 

Sou intrasigente com duas ou três coisas. Mesmo, mesmo, mesmo intransigente. Se acaso fosse capaz de odiar - o que até agora não me parece ter acontecido - então, odiaria as pessoas que acham que as doenças psiquiátricas são só para quem pode (bom, não deixam de ter alguma razão, porque quem não pod€ não dura muito...)

 

Com que direito as pessoas apontam o dedo e dizem disparates do tipo - isso é mas é falta de trabalho! Com que direito é que se sobrecarrega ainda mais quem já vive com o estigma de lutar diáriamente com a dença.

 

Não sou bipolar. Tenho depressão crónica, controlada com medicação. Lembro-me perfeitamente na minha adolescência de pensar por que raio é que a vida me tinha dado aquele doença, e não uma doença que se visse, que me provocasse por cada dor interior uma ferida aberta. Eu andava na rua, perfeitamente normal por fora (mas não falava com as pessoas, sentia-me incapaz), e em papas por dentro. Não consegui estudar durante 4 anos - a partir do 8º ano.

 

Mas alguém sabe o que é isto, para se pôr a cagar postas de pescada sobre o que não conhece?

 

Estou, e fico sempre furibunda com esta gaita, porque as pessoas deviam limitar-se a falar daquilo que conhecem. E da depressão, nem com pesquisa se lá vai, tem de se sentir na pele...

 

Só desejo mesmo, que essas pessoas que se mostram tão superiores aos doentes psiquiátricos nunca tenham de passar por isso nem ninguém da sua família .

 

Sim, quanto a este assunto sou intransigente. Só existe esta verdade.

 

(logo eu que não acredito em verdades absolutas)...

 

Podem comentar à vontade que eu hoje até vou tirar a moderação dos comentários

 

Convençam-me do contrário.

 

Desafio-vos.

 

Fátima

 

12
Out09

Segunda-feira!

Fátima Bento

Todas as segundas-feiras é o mesmo:

 

 

Mas esta semana, 'bora lá guardar a roupa de meia estação no armário, ou numa gaveta da cómoda, e quem estiver de férias, "ó fáchavor" de dar um pulito à praia.

 

Foi com isto que a minha home page - igoogle - me brindou, logo e manhã:

 

E 'atão, ahn? Pelo menos em Lisboa estamos no Verããããão!

 

Para quem ainda não tem saudades do Outono é caso para dizer: YESSS!

 

Para os outros é caso para dizer "esquece lá o Outono, que quando acabar este Verão, entras directo no Inverno".

 

C'a g'anda gaita...

 

Fátima

11
Out09

Autarquiquê?

Fátima Bento

E não é que o PSD está a dar um bailinho ao PS?

 

Bom, estas eleições para mim são um bocadinho blah, aqui vai ganhar quem cá está e tem mostrado trabalho, e "prontus".

 

Agora o Valentim Loureiro está todo contente a cantar vítória... ai meus sais! Este país é muit'a giro! O pessoal das duas uma, ou cumpre pena na prisão ou na Camara Municipal (perdoem a liberdade poética).

 

Mas isto é mesmo muit'a giro!

 

B'jinhos,

 

Fátima

11
Out09

Correcção à minha opinião sobre a entrega do Nobel

Fátima Bento

 

Em relação à atribuição do prémio Nobel, tenho uma correcção a fazer ao meu anterior post sobre o assunto.

 

Depois de ontem ter lido a edição de fim-de-semana do "i" , e tendo em atenção os prós e os contras, cheguei a uma conclusão.

 

"Em oito meses soube viver à altura da promessa que arrastou centenas de milhar de pessoas de Berlim a Portland; do discurso de Praga ao fim do escudo antimíssil e à prometida renovação com Moscovo dos tratados de desarmamento; da contenção da Coreia do Norte, mediante uma nova cooperação com Pequim, à aproximação diplomática a Damasco, fundamental na pacificação entre Israel e Palestina e chave de pressão sobre o projecto militar iraniano; do regresso ao multilateralismo e ao respeito pelas instituições ao fim da guerra preventiva; do combate ao terrorismo no difícil Af-Pak ao discurso épico no Cairo. E finalmente à assumpção da liderança dos compromissos ambientais e do desafio da sustentabilidade. Com o galardão a responsabilidade é maior, mas o mais improvável dos presidentes já mostrou combinar o sonho com o pragmatismo. E o mais improvável dos vencedores envolveu já, na aceitação, todos os povos nos novos desafios. Se não fosse ele, quem o conseguiria?" (in i, por Carlos Santos, professor da UCP)

 

O homem que foi agraciado com o Premo Nobel da Paz é o mesmo que na noite de 5 de Novembro de 2008 subiu ao palanque e fez aquele emcionante discurso de vitória. O mesmo que gritou yes we can, que tomou posse no dia 20 de janeiro deste ano, e que a 21 assinava o encerramento da prisão de Guantanamo. O mesmo que uniu o mundo em torno de um sonho de esperança.

 

E é assim que temos de ver a decisão da Academia Nobel: uma aposta na esperança no futuro.

 

E por esse prisma, não há volta a dar-lhe: ele mereceu o Nobel.

 

 

Parabéns, senhor presidente!

 

Fátima

 

Mais sobre mim

foto do autor

Follow on Bloglovin

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D