Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

30
Nov10

Balhelhas

Fátima Bento

Hoje acordei e tive de fazer um esforço homérico para descobrir o dia da semana. Lá atinei com terça-feira, mas fartei-me de fazer contas de cabeça para me lembrar das horas a que o Tomás entrava...

 

 

Bom, fui fazer a mamografia, e a máquina tinha avariado, por isso, uma coisa qye teria demorado meia hora engoliu-me a manhã. Entretanto saio e volto a ficar baralhada, mas hoje é terça ou quarta, passo numa banca de jornais e vejo a sábado, que habitualmente sai à quinta, e fico em branco. Lá me lembro que amanhã é dia um, feriado (o que para mim é igual), quarta. Pronto, já acertei as agulhas.

 

Entretanto continuo com o raio da dieta de preparação do exame de sexta. Ou será na quinta? Vão enviar-me uma sms na véspera, para me lembrarem de tomar aquela porcaria, e passar o dia a liquidos e gelatinas. Mas, sendo amanhã feriado, se o exame for na quinta, não devo receber sms... e ligar para lá é um autentico totoloto, ver se atendem... mas vou tentar, para confirmar tudo.

 

Palavra de honra, é assim que eu ando: baralhada, confusa, perdidinha da Silva. Nota-se a conduzir, que quero ir para Lisboa e dou comigo em Setúbal (é só um exemplo).

 

Qualquer dia estou maluquinha...

 

(não editado)

29
Nov10

Primeira adenda da semana...

Fátima Bento

Pela "próximidade horária" entre as ecografias - que são duas - e a hora em que deveria estar no CS, decido alterar a marcação das mesmas, que ficam agendadas para a próxima segunda dia 6. Mais tranquila, acabo de me arranjar para sair, passando no supermecao antes de ir buscar o puto, meto o telemóvel dentro da carteira, enfio o casaco, e aquela gaita começa a tocar. Reunião inesperada, hoje não há consulta. Podia ter cuspido fogo, eu. Palavra de honra.

 

Envio uma mensagem ao Tomás, pois que siga com as aulas até ao fim, e venha almoçar à hora do costume.

 

Entretanto reparo que as justificações de faltas tem um espaço em branco... sms, é preciso carimbar? Sim.

 

{#emotions_dlg.angry}Fixe!!!!! Isso quer dizer que tenho de ir ao Centro de Saúde na mesma! E que nem sei se tenho ou não de tirar senha e esperar que me chamem! Vai daí, não sei a que horas devo sair de casa! Yesss! {#emotions_dlg.angry}

 

Entretanto, e porque isto tudo é uma festa, recebo uma sms do Hospital de Santiago, a dizer que tenho de começar a preparação para o exame de sexta. O que quer dizer que, a partir de hoje, tenho uma imensa lista de coisas que NÃO posso comer, e outra das que posso. Bolos, bolachas e coisa e tal é à vontadex (mas quem é que disse que eu quero comer coisas doces????) Chás e sumos também é à descrição, e gelatinas, e caldos de legumes (arghhh) e há mais, mas agora não me lembro. Sei que me proibem fruta, e isso para mim é a morte, e mais lecticínios e derivados, e eu movo-me a iogurte líquido, como o meu rodas a 95... 'tá bonito, 'tá...

Resumindo e baralhando: é segunda-feira, estive de folga ontem, e já estou para aqui a cair de exaustão. Acham normal? Eu não. Para quando uma fase sem surpresas????

 

 

 

Ó Pai Natal, eu sei que é capaz de ser pedir muito, mas o que eu queria mesmo, mesmo, MESMO era uma semaninha em que eu soubesse a hora a que me levanto, tomasse o pequeno almoço em paz, viesse à net picar o ponto, depois fizesse qualquer coisa em casa, almoçasse com o Tomás, e fosse trabalhar à hora, tranquila. Assim uma rotina cumprível, estás a ver? E se tivesse alguma coisa marcada, que fosse despachada a tempo e horas, para não me sentir uma bolinha numa máquina de pinball. Sim? Pai Natal, fazes-me esse jeito? Só uma semaninha, eu depois aguento mais um mês ou dois sem me queixar, sim? Sim? SIM??????

 

Irra!

 

Pronto, já se aproxima a hora de me preparar para sair. Chiça, pá, assim não vale! À conta de não saber o que hei-de comer, ainda estou em jejum...

 

B'jinhos! Desejem-me boas vendas (ao menos isso!)

 

29
Nov10

A uma semana melhor, puliiize!!!!!!

Fátima Bento

Sexta-feira foi uma dia difícil. Correcção: a semana toda que passou foi de uma insanidade à prova de bala. Fazendo a resenha assim às três pancadas, foi a euforia de sexta-feira 19, por (re)começar a trabalhar, e ficar logo-logo doente com uma crise de sinusite que começou a melhorar uma semana depois...

 

No dia seguinte, sábado, a folga, passada entre a caminha, a cabeleireira e a casa dos sogros. 

 

Domingo, 10 horas de trabalho sem uma única venda...

 

Segunda de manhã, cama-o-mais-possível, já que segundo o xô dotô, estas coisas curam-se é com repouso.

 

Terça-feira, começo o dia no hipermercado, já que os animais estavam sem ração, e ao chegar a casa, o embaraço do raio do recadinho na caderneta do Tomás, a pesquisa do “deixa-lá-ver-o-que-é-que-isto-quer-dizer”, e a evidência avassaladora do tão grande absurdo que nem sabia se ria se chorava...

Terça

 

 Quarta, acompanho uma amiga às compras, de manhã, e passo a tarde ainda atordoada, tempos infinitos ao telefone, com o medico que marca para ver o pikeno no dia seguinte ao meio-dia.

 

O mesmo, na quinta, a sair desembestado à uma e picos, e a ligar-me a pedir desculpa, e que fosse almoçar e voltasse a seguir, tinha tido um imprevisto. No restaurante (safou-se isso, o pikeno e a mãe foram almoçar ao chinês), novo contacto, “ó Fátima, tenho de ir visitar um velhote acamado, podes lá estar ás 3h?” Pois que não, a essa hora tenho reunião com a DT.

“Então quando acabar a reunião, venham ter comigo!” Ok. Mal desligo o telefone, palm face*: então se eu entro às 16:15h, como diabo consigo estar no Centro de Saúde ás 16:00h? Saímos do restaurante, vou à loja, pedir à colega para ficar até às 17:30h, para podermos ir ao médico. A colega tranquiliza-me, deixo o puto em casa, e vou à Piedade buscar o marido para irmos à reunião. Acabamos a reunião, agarro no puto, e vou para o CS. Às 17:20h saímos desembestados (não sei se foi a palavra que pegou, ou se é hábito enraizado do CS), sem termos falado com o médico. Levo o puto a casa, dirijo-me ao CC e tento conseguir um lugar para estacionar o bólide. Entro na loja, segundo a minha colega, as 17:30h (podia jurar que era mais tarde...), e ela pede-me se no dia seguinte posso entrar às 15h para ela ir ao médico. Claro que sim, então era o que faltava, se ela tinha ficado ali no meu lugar! O médico liga-me, não atendo, que saía disparate... passado um bocado, já mais calma, envio um sms. Liga-me a pedir  desculpa (como se fosse necessário, não tivesse eu visto o caos que por ali reinava, e ele a correr de um lado para o outro!), e pede-me para lá estar no dia seguinte ao meio dia.

 

Sexta-feira, levanto-me, verifico que o puto faltou ao primeiro tempo (ahhhhhhhhh!) Pouco depois das 9 estou a sair de casa, com o pikeno já na

escola, e rumo ao Almada Fórum, para ir à Nespresso, que já só tinha 5 ou 6 cápsulas , e a sogra também estava precisada... lá dei as voltas do costume, e fui à  Fnac à procura de um livro que o Tomás pediu para prenda (!!!) de Natal, fui buscar a proteína para o marido,e, com 20 pessoas à frente na boutique das cápsulas, rumo à C&A onde compro uma túnica fantástica por um preço equivalente, com um cupão de 20% de desconto que me tinham oferecido na véspera.

 

Volto à Nespresso, sou atendida, bebo o café do costume no espaço clube (e como eu estava a precisar...), e ao sair, olho para o relógio: meio dia. 'Ah', penso, '20 minutos e estou no CS' – e estava.

 

Para encurtar o resto da estória, sim, esperei, e estive com o médico, que estava arrasado sem ter ainda almoçado, saí, fui comprar um pack de iogurtes (já que ainda estava em jejum), e rumei à loja, onde só cheguei às 15:10h!

 

Sábado trabalhei das 10h às 22h, e ontem estive de merecida folga!

 

Agenda da próxima semana: (como trabalho todos os dias às quatro, só dá para planear as manhãs):

 

Segunda, 10:40h, ecografias, 12:00h consulta do puto no CS (será que dá tempo? Em princípio, neste caso, meio dia parece ser um conceito bastante lato....)

Terça, 10:00 mamografia

Quarta, como é feriado, parece que a manhã está livre...

Quinta: abastecer a despensa, tenho de contar com as filas aparvalhantes desta altura do ano... a ver de consigo também comprar as prendinhas para os sobrinhos...

Sexta: Hospital de Santiago nem vou dizer para quê, que apesar da sedação nem quero pensar nisso...

 

E Sábado, estarei de folga...

 

É claro que a semana não há-de ser só assim – eu depois conto... - que imprevistos são, feliz ou infelizmente, coisas comuns para estes lados... blergh!

 

B'jinhos!

28
Nov10

Eu e as botas

Fátima Bento

(post que poderá nunca ser publicado por via de estar a ser escrito no famoso bloquinho preto, e a preguiça poder eventualmente imperar e impedir a sua passagem ao “teclas”. Memo para mim própria: começar a andar com o “teclinhas” atrás)

 

Pois e é que quem me segue e ao que escrevo, sabe que eu já cheguei a pesar qualquer coisa como 93 quilos (sabiam, não sabiam?), e agora peso assim menos 30, mais grama menos grama.

 

Ou seja.

 

Nunca pude fazer daquelas figuras elegantes, bota de pele a acabar imediatamente abaixo do joelho, com saia travada, blaser e/ou sobretudo. Tudo porque as benditas das botas, se de enfiar,  não passavam nos gémeos, e se de zip, o mesmo deixava de subir mal chegava ao mesmo sítio. Por isso, ora toma lá botins e é se queres (o que, em abono da verdade, também não era propriamente favorecedor, se tivermos em linha de conta que visualmente “cortam” as pernas na linha do tornozelo, o que além de gordinha me dava a ilusão-de-óptica de ser baixinha, e, logo, mais gordinha ainda...) ah, e ainda havia o recurso àquelas “coisas” de lycra, que de longe, quem fosse pitosga até achava que era capaz de ser vagamente elegante, mas ao perto, dava vontade de fugir. E, tirando o efeito-para-o-boneco, de vêem-que-eu-estou-de-botas-c'um'ás-pessoas, a verdade é que aqueles híbridos, quais meias hiper-opacas-com-sola-e-salto, não serviam para muito mais: se a chuva fosse valente, os pés ficavam molhados na mesma!

 

(e aqui faço a ressalva, em tempo: existem neste momento no mercado, modelos em imitação de nobuck, ou semilicuir, com uma percentagem de spandex, que mantendo a propriedade modeladora e adaptável aos gémeos mais difíceis, têm um aspecto e uma performance bué-bué-longe dos seus antepassados).

 

E, voltando à minha estória, já que os 30 kg não se evaporaram, foram desaparecendo devagar, ainda há uns meses entrei numa sapataria e experimentei umas botas... cujo fecho éclair "deixou de funcionar" precisamente no abençoado sítio do costume.

 

Então agora imaginem a cena: início desta estação. A Fátima entra numa sapataria e vê botas, botas e mais botas (sapatos, qu'é deles?), de todos os tamanhos, feitios e alturas – até acima do joelho, que desplante! - e, encolhendo os ombros face à inevitabilidade do que se seguiria, pega numas botas, e senta-se. Tira o pé da sandália, e bota o pé no pé da bota (jogo de palavras giro, hein?), puxa o zip, e... e... ele pára. Porque já não havia mais zip!!!!!

 

Rufem os tambores, façam saltar as rolhas das garrafas de espumante, a mulher pode, finalmente usar um par de botas!!!! Ó felicidade! Tomada pela euforia da coisa, e não medindo o risco, decide experimentar um segundo modelo... e um terceiro... e serviam todos!!!!! Foi o êxtase.

 

E a partir desse momento, a Alice terá o seu País das Maravilhas, mas a Fátima tem o País das Botas! Desde um modelo de biqueira ponteaguda (onde é que eu estava com a cabeça?) a umas nobuck com um bonito salto em cunha (sério, é mesmo bonito!), até à sua mais recente loucura, disparate, chamem-lhe o que quiserem... sim, aqui a je comprou umas tipo-ugg (conforme mencionado no último post...). Daquelas que são quentiiiiiiiiiiiiinnhhhhhhassssssss, e confortááááááááááveissssss e transformam qualquer comum mortal com menos de 1,20 m de perna, num trambolho com dois olhos (não se ofendam, que não vale a pena).

 

O engraçado da cena, é que fui comprá-las com uma amiga e a filha, de nove anos, e parecia que tinha havido ali uma troca de personalidade: a miúda parecia eu! “Tão giras! Tão fofas! Tão divertidas! 'Tou apaixonada! Ai que queridas! Acho que vou levar!” E a minha amiga:” Vais quê? Tu?” a miúda torcia o nariz, jamais a apanhariam com tal isso nos pézinhos, a mãe dizia, “não tem nada a ver contigo” e eu continuava com a ladainha de tolinha até me decidir, antes que a empregada chamasse os paramédicos, ai-que-a-senhora-não-joga-com-o baralho-todo! Valeu-me o facto dela ter umas iguais, e sentir pelas mesmas um desvelo igual ao meu...

 

Sexta-feira, plena onda de frio, 9:00h a preparar-me para sair de casa e “ir às cápsulas”, fez-se luz: dia perfeito para enfiar as ditas cujas nos pés! Procuro o meu camisolão-túnica favorito e descubro que as traças decidiram fazer um festim mesmo na frente da camisola. Puxo da agulha e da linha, e lá tento cerzir a coisa o melhor possível...mas ná, só mesmo com uma écharpe por cima. Tiro a etiqueta às leggings, e enfio as norueguesas. Oh prazer supremo! Enquanto me dirigia ao carro, sentia frio em todo o lado menos nas pernas.

 

 

Quem também gostou muito foi a gata Piccolina, que só ao centésimo “NÃO!” é que conteve o entusiasmo com os pompons.

 

E prontx, como podem avaliar pela amostra junta, cá estou eu quadrada, deselegante como um perú, mas tão quentinha e contente que nem vos conto!

 

 

E sim, se forem ao "step in", vão ler que fazem “perna de elefante” - confirmo – e mais um ror de coisas. É verdade é. Mas se querem que vos diga:

 

QUE-SE-LIXE!

24
Nov10

Hoje foi dia de mimo! E bem que estou precisada =o)

Fátima Bento

Ora bem, estou quase a dar corda aos sapatos para ir trabalhar, já que tenho de ir buscar "mananinhas" desidratadas para a Chiara e a Carina, antes de entrar. Passei a manhã nas compras - uma amiga tem um casamento para a semana, e tinha de vestir a filhota - acabei por comprar três coisitas para a je: uma túnica de malha fina (já contei que a loja onde trabalho é quentissíma? não? Pois olhem que é, mesmo muito, e tenho de montar um suprimento de roupa leve, senão ando sempre à beira do desmaio à conta da tensão...), umas leggings e umas botas tipo australiano, só que norueguesas. Gastei na "brincadeira" toda, €35 =o) - depois ponho fotos no outro blogue, e aviso quando puser . 

 

 Ou seja, devia e ter estado aqui na caminha, a macerar um actifed, e fui p'á galderice. Febre já não tenho, mas tou com uma tosse cagalhoeira (era assim que aminha avó lhe chamava) dos diabos... mas que se lixe... amanhã tenho de ir às capsulas, já não tenho praticamente café nenhum...

 

 

Prontx, meus anjos, só passei para não dizerem que não passo, lol.

24
Nov10

Voltarei... mais tarde - ao assunto.

Fátima Bento

Ok, só volto a este assunto no fim-de-semana. Mas já entenderam o que a missiva quer dizer? Já? É que (isto deve ser da febre) só ontem à noite é que se fez luz total na minha mente.

 

A situação é absurdamente mais complicada de que se fazia crer...

 

E hoje de manhã uma amiga riu a bandeiras despregadas, à conta do despropósito. Eu depois explico, para quem ainda não percebeu. Mas só no fim-de-semana.

 

B'jinhos

23
Nov10

Eu sei que disse que não voltava a este assunto...

Fátima Bento

... e honestamente, até criei um blogue anónimo para poder dar vazas aos meus desabafos sem que ninguém soubesse que de mim se tratava... e esse blogue tem dois posts, que nada têm a ver com este tema, e por ali vai ficar, já que o anonimato nunca foi o meu ponto forte. Quem gostar de mim assim, gostou, quem não gostar, gostasse!

 

Prende-se esta introdução com o facto de ter recebido da DT do meu filho, na caderneta do aluno, a mensagem que parafraseio segidamente: tendo em conta o elevado número de faltas injustificadas do aluno (...) informo que fica o  mesmo sujeito, a partir de Janeiro de 2011, ao (disposto no) artigo 11º da lei 39/2010 de 2 de Setembro.

 

Assim.

 

Sem mais.

 

Agora, digam-me, ó Encarregados de Educação deste país, quantos de vós entenderíeis a mensagem? Hummmmm?

 

Pronto, vai esta alminha à procura da dita lei, que encontra, e mal começa a ler... debalde, que passam do Artigo 10º para o 12º. A senhora não saberia que deveria incluir o capítulo? Lá pedi ajuda ao google, e a pesquisa veio dar aqui:

 

 

(Cliquem em cima, para não ficarem vesgos)

 

Ora, ajudem lá, o que quer isto dizer? Que vai ser revogada a matricula do meu filho? Com 14 anos, em plena escolaridade obrigatória, sem nunca ter chumbado um ano, ou terminado qualquer ano com uma negativa em pauta (agora, honestamente, não me lembro se o ano passado teve uma ou não...)? Um miúdo responsável, educado, que nunca teve uma participação por parte de um professor, a quem eu tenho justificado, ou pelo menos TENTADO justificar as faltas dadas?

 

Bom, antes de me estender mais, terei de ler, obviamente, o regulamento interno da escola (que o ano passado analisei, no papel que me cabia no Conselho Pedagógico desta mesma escola, aquando do seu envio para o Conselho de Escola, para aprovação). Depois então entenderei, ou não, ao que se refere a missiva encriptada da DT do meu filho...

 

Ou seja, sendo que agora não vou ter tempo, digo desde já que voltarei a este assunto.

 

Decididamente.

22
Nov10

"Alergia" ao trabalho, lolololol

Fátima Bento

E pronto, mal comecei a trabalhar e estou com uma carga de sinusite de dar dó. Até afónica estou! De qualquer maneira, não é nada que atrapalhe po aí além; tirando o facto dos clientes se terem de esforçar para me ouvir...

 

 

Quanto ao resto... tá tudo na mesma. A Inês está great, e aqui em casa, a pachorrísse do costume: gatas a dormir, ratas na "gruta", quentinhas e a xónar...

 

Para a semana, exames médicos uns atrás dos outros. Segunda, eco's, terça, mamografia, quinta colonóscopia. Vai ser uma semana em cheio =o(

 

E prontx, muito honestamente não me lembro de mais nada para dizer... acho que me vou começar a despachar, que aproveito e ainda resolvo uns quantos assuntos que tenho pendentes antes de entrar...

 

B'jinhos a todos e obrigado pelos feed back's!

20
Nov10

É desta que o blogue tem mesmo de mudar de nome!

Fátima Bento

Prontx, comecei ontem a trabalhar.

 

YESSSSSSS!!!!!!

 

Então é assim: é uma loja de pronto-a-vestir masculino, num pequeno Centro Comercial. Vendemos Mike Davies, Amarras, Lion of Porches, Givenchy, Calvin Klein, Trussardi, Valentino... estamos, por isso, bem servidos de qualidade, e neste momento também em preços. As peças têm número de série e os selos de garantia todos, de modo que ali, garanto, não há contrafacção de qualquer espécie.

 

 

E pronto, a loja é bonita, agradável, QUEEEEENNNTTEEE (vou passar o Inverno de manga curta), e hoje estou de folga, fazendo amanhã o dia todo, da abertura ao fecho.

 

E prontx, esperemos que tudo corra bem, que assim, sou cada vez mais uma pessoa c'um'ás outras... =o)

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Follow on Bloglovin

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D