Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

18
Nov10

... de carros...

Fátima Bento

Eu ainda aqui não tinha dito, mas o meu bólide é um Toyota Corolla de 93. Abençoados japoneses!

 

 (mas é antracite)

 

também não disse que o carro dos meus sonhos é este:

 

 (cor e tudo)

 

Mas, à excepção do Micra, se neste momento me entrasse pela porta dentro a possibilidade de adquirir um carro novo, juro que era p'ó marido. O Toyota é compriiiido, e por isso foi um desafio dos diabos. Ganhei-lhe uma paixão que não o largo nem à porrada. Só mesmo pelo Micra... assim vermelho ferrugem ou, melhor ainda, chocolate quente!

 

Mas a sério, mesmo assim, ficava com um pedacinho do Corolla no coração... há-de ser sempre o meu primeiro...

17
Nov10

E já passou um ano!!!!!!!

Fátima Bento

E então é assim... com grande pena minha, ontem não pude escrever aqui. E hoje só estou a escrever (e espero que seja publicado) porque arranjei maneira de entrar pela porta das traseiras... acontece que consigo aceder a todos os blogues menos a este... o que é uma grande gaita...

 

Princípalmente, porque ontem era dia de festa rija!

 

 

 

 

 

É que ontem eu fiz um aninho!!!!!!

 

  

 

 

 

 

 

Fez um aninho que fiquei assim uns 50 cm mais alta, de peito cheio (tirem o silicone da equação, ó fáchavor), e a sentir-me c'um'ás pessoas.

 

(cá entre nós, fiquei a sentir-me uma pessoa grande, grande! )

 

E porquê?

 

 

 

Pois, estou encartada há um ano. Acreditam que ainda hoje, quando entro no carro, o ponho em ponto morto, dou à chave, engato a marcha atrás e o tiro do estacionamento, tenho aquela sensação de liberdade que eu acho que me vai acompanhar sempre? Aquela sensação que posso ir ao fim do mundo, se quiser (e tivera combustível...lol)...?

 

Bom, eu ontem estive mesmo de parabéns. Não é que hoje não esteja, mas prontx...

 

[E por falar nisso, há um ano que ando para comprar a continha Pandora que representa ter tirado a carta (não, não tenho pulseira, tenho um cordão de couro para usar no pescoço)... acho que, com sorte, fica para os dois anos... quem mandou embirrar que SÓ quero a 'yin-yang' E que tenho de ser EU a comprá-la? Quando a pude comprar estava esgotada... desde que não a descontinuem...]

 

E pronto, com 24 horas de atrazo, aqui levanto a taça a mim, e estes últimos 12 meses em que, finalmente aprendi a conduzir!!! e qua mais chapa menos chapa, até conduzo benzinho... (só bati sózinha... ou 'parada'. Uma de cada...)

 

{#emotions_dlg.star}{#emotions_dlg.star}{#emotions_dlg.star}{#emotions_dlg.star}Tchin-tchin!{#emotions_dlg.star}{#emotions_dlg.star}{#emotions_dlg.star}{#emotions_dlg.star}

15
Nov10

Oh, que "depressão"!

Fátima Bento

Então neste fim-de-semana escrevi o post anterior, que é um autêntico tratado (leia-se 'pequeno insulto') neste momento e conjuntura, a pensar que vinha aí um chorrilho de comentários, ainda que insultuosos, e... nepes. tirando o meu amigo Carlos, e mais ninguém se manifestou...

 

Vocês até leram, que eu sei que leram... ó pessoal, façam-se ouvir!!!!!

 

 

É preciso eu pedir? Vá lá, comentem aqui os disparates de uma quarentinha (dava um bom nome para um blogue, não dava? Eu ando para mudar o nome a este, vou pensar nisso...) aqui escreve!

 

B'jinhos a tutti!

13
Nov10

A importância da primeira impressão

Fátima Bento

Ora à falta de melhor, aceitei o desafio do Sapo...

 

Pensei mesmo na coisa. E o que acho que foi, vai deixar muita gente de cabelo em pé... mas calma que eu depois explico...

 

" Se estás à beira da falência, com o pouco dinheiro, ou crédito, que tens, compra um bom fato, um relógio caro, arranja um carro imponente (e acrescentaria eu, agora, um Blackberry topo de gama). Depois, vai ao banco, e negoceia uma nova linha de crédito, ou apresenta-te em entrevistas de trabalho". E este, do mesmo tom, mas mais curto: "nunca te vistas para o lugar que ocupas: veste-te para a posição que almejas".

 

Fútil? Não. De todo.

 

A primeira impressão dá ao nosso interlocutor 75% de fiabilidade em relação às suas expectativas. Ninguém quer um empregado desesperadamente a precisar de trabalhar, a menos que queira explorá-lo; um empregador prefere um colaborador que deseja trabalhar com a sua empresa, porque quer fazer parte de um projecto, uma visão.  

 

Este conselho dou eu: nunca demonstres que o teu trabalho é uma necessidade de vida ou de morte, mesmo que o seja. Nem que não te podes dar ao luxo de te ir embora, mesmo que não possas. Garantidamente, assim não te põem o pé em cima.

 

Com o fato, o relógio, o telemóvel, o carro, ou similar, dás a ideia de que serás uma mais-valia para a empresa, antes mesmo de abrir a boca. E numa entidade bancária, mostras que queres crédito, mas não que precisas do mesmo.

 

E deixo-vos com mais um conselho: numa entidade bancária, mesmo que com a corda no pescoço, entra segura/o, senta-te relaxada, mãos no colo (nunca cruzes os braços, sinal de defesa), e se as mãos tremem, não as ponhas sobre a secretária. Olha o funcionário nos olhos, e fala calmamente.Aje como se já tivesses o sim. E se acabares por vir de lá com um não (negoceia e re-negoceia antes de te dares por vencida/o) sairás com a auto-estima incólume, já que não foste humilhada/o. Nem te sentiste como tal.

 

Portanto, agora ocorre-me isto, de resposta ao desafio do sapinho.

 

Bom fim-de-semana!

 

10
Nov10

O que é pior de que um idiota-com-a-mania-que-é-esperto? Só DOIS idiotas-com-a-mania-que-são-espertos!!!!!!!!!!!!!!!

Fátima Bento

Já toda a gente sabe que eu tenho duas ratinhas-do-meu-coração, certo? A Carina e a Chiara. Para qem ainda não as viu, aqui vai uma amostra:

 

 
São irmãs, da mesma ninhada. Da Carina, comecei por falar aqui, e anunciei aqui quando trouxe ambas para casa. A Chiara, que é mais clarinha (o corpito é bege clarinho) veio de pendura, para a Carina não se sentir sózinha. Não é tão extrovertida como a mana, mas quando lhe pegamos é mais calma de que a Carina, que entra em pânico, por pressentir a presença da Piccolina. A piolha faz cada investida à gaiola (que está no chão, por segurança) que as desgraçadas nem podem beber água descansadas... mal uma se tenta afiambrar ao biberon, lá vai BOOOOOOOMMMMMBA!!!!! E é por isso que a Carina fica sempre à beira de uma apoplexia quando a tiramos da gaiola... eu faço-o por dois ou três minutos, e volto a pô-la dentro. E ontem, fi-lo, e depois comentei com o marido que a bichinha parecia uma bicha-de-rabiar (ó pessoal, digam-me que não são só as cotas da minha idade que sabem o que isso é...), enquanto não a voltava a colocar dentro da gaiola.
 
E foi nesta altura que tivemos uma paragem cerebral semi-colectiva  ...
 
O xô Vitor dirige-se à gaiola e *pop*, saca a Carina. Trá-la para junto de mim, para eu lhe fazer umas festinhas. A desgraçadinha dá voltas sobre ela própria, a ver se descobre por onde dar à sola. Nepes. Mete a cabecinha "à janela", para tentar impulsionar o corpo por entre os dedos e saltar (não é à toa que os gerbos também são conhecidos por ratos-cangurú). E é claro que o Vitor não deixa. E é claro que nesta altura o cerebrozinho do roedor já não equacionava meia com sapato, e venceu o instinto:
 
*!!!!!! NHAC !!!!!!!*
 
Ai,ai,ai, e ai,ai,ai, que a sacana quando ferra, ferra mesmo, e foi nesta altura que o meu cérebo parou de todo. Lanço mão à mão do Vitor, faço duas festinhas na cabeça da Carina, e PONHO-LHE A MÃO À FRENTE DO FOCINHO, na esperança que ela sentisse o meu cheiro, e sentisse alguma segurança (alguém me diz que diabo é que eu tinha na cabeça????)
 
'Tá-se mesmo a ver, não está? Descravou as presas do indicador do meu mais-que-tudo, e fincou-as no meu polegar. As da frente, no ângulo direito do sabugo, e as de baixo, no reverso do dedo. Yá. Entre uns palavrões que iam escapando, eu dizia calma, calma, e lanço da mão esquerda (é capaz de ter sido a única coisa inteligente que fiz em meio a toda a situação), e vai de usar esse polegar para lhe abrir a boca.
 
Tá bem ó abres!
 
Bom, verdade seja dita, lá abriu. E lá foi para a gaiola. Depois de ter feito um golpe na cabeça do polegar esquerdo, ao roçar num dos dentes, com a força para lhe fazer abrir as mandíbulas.
E foi a corrida à casa de banho. O dedo do Vitor, pingava. O meu ainda não... meti-o debaixo de água e a dor foi tão aguda que nem respirei! Entretanto o marido munia-se de agua-oxigenada e depois, de alcool (e eu: alcool????) mais tretas houvessem, mas ele tinha posto no dedo. Mas a verdade é que aquela merd@ não parava de pingar... dois pensos depois, a coisa lá estabilizou. Eu, por meu turno, continuava com o dedo debaixo de água corrente. Sempre que tirava, o sangue surgia ao longo de toda a cutícula, e recomeçava a pingar de trás. "acho que os dentes se tocaram, dentro do meu dedo!" dizia eu. Farta de estar ali a molhar o dedo, sem vontade de me aventurar pela agua oxigenada, e muito menos pelo alcool, sem betadine em casa, saquei de um penso grande, em que a gaze conseguia cobrir ambas as feridas, e marchei rumo à sala, directo à gaiola, com o outro polegar ao ar, que naquele golpe não dava muito jeito pôr um penso.
"Ó pequenina..." completamente despenteada, a cabecita devia estar suja de sangue, a pelagem pastosa, fiz-lhe uns miminhos e falei com ela, tadinha, que estava tão assustada! Ainda agora não está muito normal, apesar de já ter vindo buscar a fatia de banana seca à minha mão, por duas vezes e a mana também.
Só mais tarde pensei numa coisa: se ela se lembra de fazer destas mais vezes, ainda lhe esmago o cranio! Nem sei como ontem não provoquei mais estragos, com a força que tive de fazer para ela largar o meu polegar!
Escusado será dizer que hoje o dedo ainda me dói mais que ontem... enfim, há-de passar!
Mais uma para juntar à saga de disparates da Fátima... lol
10
Nov10

Salazar lá dizia "O povo é sereno"... (parte 1, de um porradão delas que se avizinham)

Fátima Bento

OK.

 

Então é assim:

 

(antes de mais nada desculpem ainda não ter respondido aos comentários que têm feito, mas ando meio aparvalhada...)

 

O nosso Ministério da Saúde andou em mexidas, descida de comparticipações, e tal e coiso, e vivó's genéricos, etc, etc. Sinceramente, não tinha pensado muito no assunto, a não ser pela perspectiva dos pensionistas, que, coitados estão em vias de decidir entre duas mortes: de doença ou de fome. Pois é que não é humor negro, é  a mais real das verdades!

 

O que não me tinha apercebido, porque no ultimo mês não me havia deslocado à farmácia para aviar nenhuma dar minhas 2 vias, foi do facto de que acabaram as portarias. E, neste caso concreto, as portarias eram aplicáveis aos anti-depressivos.

 

Vai daí que vai esta alminha à farmácia, de 2ª via em riste, e diz a empregada: "sabes que acabaram as portarias, não sabes ?" E eu, a sentir o sangue a fugir não sei bem para onde "Não?!?!". Ah pois é.

 

Perdida por perdida, com 30 euros de lado para ir buscar esta receita (que há pouco mais de um mês me tinha custado, na 3ª via, €3,27) e para ir amanhã de manhã ao laboratório levantar as análises que fiz na semana passada, com a novidade, fez-se luz: o resultado das análises vai manter-se obscuro durante mais uns dias... quiçá duas semanitas... e fiquei à espera que a mocinha me dissesse o total a pagar: €17,81.

 

 

Dei uma sonora gargalhada. Ó senhores, e porque não logo os €30, que me arrumavam com o "fundo para a saúde" de vez? Ou uns €50, para eu dizer, "olha não posso levar, não tenho comigo dinheiro suficiente..."

 

E estamos a falar de genéricos.

 

Falava-se ontem que o MS alega que andam a ser prescritos demasiados ansiolíticos, antidepressivos e restantes psicóptrópicos. APESAR de ter acabado com as portarias. APESAR de não ser preciso ser um génio, para prever que no próximo ano o aumento de perturbações psiquiátricas, nomeadamente depressões, é expectável. O que é que esta bosta toda vai trazer? Um aumento da taxa de suícidios. Quer dizer, do NÚMERO de suícidios, que 'não existe' taxa, acho que o suícidio e as notícias sobre o acto é mesmo o último tabu...

 

Mais novidades se avizinham... agora é a ADSE que passará a ser opcional, quem decidir manter-se neste sistema de saúde verá todas as comparticipações reduzidas, ou retiradas. E quem é que é afectado pela novidade? Os funcionários públicos, o pelotão que está sempre na linha da frente.

 

É lindo, não é?

 

O que aumentará a minha (e a de todos) qualidade de vida. Para aguentar com o €€€ dos antidepressivos, ainde me estou a ver a ter de deixar a almofada que me facilitava o desmame:

 

 

 

Sempre são menos €15 na factura mensal... se não começo a trabalhar depressa, não sei que faça... a gente amanhã fala... ou assim...

 

04
Nov10

Eles 'andem' aí... 'tra vez!

Fátima Bento

E eis senão quando começou outra vez a invasão! E não me estou a referir aos chineses com quem o idiota do primeiro está reunido por via a establecer contactos comerciais, enquanto se vai falando da possibilidade da compra de títulos de dívida pelos mesmos...

 

Não, estou mesmo a falar do comercio de natal.

 

Que, não tenho grandes dúvidas, este ano vai ser mais ofensivo ainda e que, também não tenho grandes dúvidas, vai bater novos recordes de vendas.

 

O português típico deixa-se iludir pelo barulho das luzes até ao último momento. E este vai ser, provávelmente, o último 13º mês que vai ser pago a 100% nos próximos anos, por isso vai ser vê-los a bombar até ao último cêntimo do plafond dos cartões de crédito, e quem viver verá como vai ser o próximo ano. "Já que vamos ficar de tanga, mal por mal que seja de seda pura cravejada de cristais swarovski", vai ser o mote.

 

Quem quiser começar a ver os ornamentos para a árvore, e quejandos, pode atacar as grandes superfícies este fim-de-semana - o Jumbo do Almada Fórum já ontem tinha um exercito a pôr o "show" de pé. E no piso -2, as árvores de Natal encontram-se empilhadas junto à parede, prontinhas para engalanar os corredores. As listas de presentes já se insinuam nas montras.

 

A árvore daqui de casa este ano vai levar enfeites novos: vou fazer sinos e corações em tecido, recheados de algodão, em vermelho e branco, num estilo bem nórdico. De resto, reciclamos tudo o que para aí está em casa, e não gasto um tusto nos enfeites.

 

Prendas... ah, vai ser quase nada. Toda a gente há-de receber, mas vão ser simbólicas. Gostaria de comprar uma prenda especial para a Inês, e para o Vitor; o Tomás já tem a dele destinada.

 

Eu... eu por mim contentava-me com uma Wii Fit (a Wii já tenho, é mesmo só a balança e o jogo),

 

 

uns Reetones,

 

e um frasco de Chanel nº5.

 

Se receber uma das três coisas, já fico contente =o)
03
Nov10

Bati com o carro... outra vez.

Fátima Bento

Resultou numa pequena amolgadela do lado do condutor, nada além de chapa, e mesmo assim, nada de muito importante. 

 

Mas sabem o que uma gaja que ADORA O CARRO QUE TEM, precisa, depois de lhe ter feito uma amolgadela? SABEM?

 

Que LHE digam que não é importante, que em meio ao azar, teve sorte, que está tudo bem, antes chapa que ela, e blá, blá, blá. Precisa de OUVIR isto.

 

E, muito importante: NÃO QUER SER OBRIGADA A DIZÊ-LO, e a gritar e bater o pé para convencer quem quer que seja do facto.

 

 

Mimo, homens, mimo e que se fod@ o carro! 

 

(meu rico e adorado carrinho...)

 

CAPICE????              

02
Nov10

Os livros e o Kindle

Fátima Bento

Os livros... dizia aqui há tempos um embaixador, na Sábado, que melhor que ler um bom livro, só compra-lo... como o compreendo! O cheiro do papel recem saído da impressão.ainda por abrir, o ruído das folhas que desfolhamos... é quase metade do prazer de nos perdermos num bom livro.

 

No entanto, agora saíram os Pad's, e ele é pad's por todo o lado, para todos os gostos, e mais ou menos as mesmas bolsas... rondam os 500 euros e são um brinquedo do camandro. O mais desejado é o IPad, mas há-os mais low profile - e até a Vodafone está neste momento a comercializar um que, salvo erro, é Samsung. Para mim são pouco mais que dust collecters, assim que passar a febre dos primeiros dias, mas isso sou eu...

 

A primeira vez que ouvi falar em tal isto, foi com o Kindle da Amazon. Foi num programa da Oprah, em que cada um dos espectadores em estúdio levou uma para casa. Tendo em conta que é da Amazon, que é uma livraria/"produtora" de livros, está-se a ver que é para e-books.

 

E adieu, cheiro de papel, capas novinhas e etc. Olá tecnologia =o/

 

No entanto, há vantagens. Há mesmo muitas vantagens, seja num kindle, seja num Pad. Para quem vai "amandar" com umas centenas de títulos na faculdade, como a Inês, a prenda de Natal por excelência seria um Kindle (sim, que nem temos guito p'a Pads, nem ela quer tal isso). Um Kindle situa-se entre os $100 e os $150, e é expansível até um cartão SD de 4 GB. É muito livro.

 

Se eu ganhava, em termos de logística, em pegar nos livros em que tropeço pelos quatro cantos da casa, e armazenar conteúdos numa biblioteca de SD's, guardada numa caixinha num catinho de uma prateleira? Ganhava espaço, sim. E podia fazê-lo?
 
Poder, podia, mas, de-ci-di-da-men-te não era a mesma coisa...
 

Pág. 2/2

Mais sobre mim

foto do autor

Follow on Bloglovin

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D