Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

18
Jan11

Ratinhas, e eu outra vez...

Fátima Bento

... de caminha. Maldita sinusite. De caminha, quer dizer, de choquinho, i.e., robe e pijama, em casa, quietinha, medicada - com os habituais paracetamol e ibuprofeno, mais, neste caso, Actifed. De manhã ainda dei um jeitinho na casa, pus uma máquina a lavar, mas agora de tarde vou mesmo deitar-me, tenho mialgias em lugares que não sabia que existiam!

 

Acabei de mudar a gaiola às malucas das ratinhas. Aquilo é uma festa: levo a gaiola para cima da minha cama, com a porta trancada e gatas de fora, CLARO, e tiro a armação metalica. Depois, é por fases...

  1. espreitam e debruçam-se na amurada a medir a distância;
  2. escondem-se nos túneis que construiram;
  3. voltam a espreitar (se eu estiver sem pessa podemos ficar nisto 10 minutos, ou então agarro nelas e ponho-as sobre a colcha);
  4. já sobre a cama, começam a correr, explorando "o infinito". Ainda voltam ao tabuleiro, uma vez ou duas, mas depois chegam à conclusão que é muito mais divertido andar a correr de um lado para o outro...
  5. e é vê-las: é uma festa! Para cima, para baixo, e eu de olhos nas mocinhas, não vá alguma resolver experimentar se o chão é da mesma textura da colcha, e eu fique o resto da tarde de c* p'ó ar a chamar por sua Exª...
  6. entrementes, hoje, estando eu, como já referi, de robe vestido, a Carina descobriu que era um sítio giro para fazer de túnel, e não muito depois a Chiara imitou a irmã. Pronto, 20 minutos na brincadeira, e agora, gaiola limpa, algodão "comestível" novo e um super tubo de cartão para fazerem os túneis novos. Temos neurose até à noite/os túneis estarem de profundidade para se taparem/esconderem/aquecerem.

Não há nada como ter animais, juro. Enchem-nos os dias com sorrisos!

 

 

Mas clar que toda a moeda tem duas faces... tenho para contar uma coisa sobre estas quatro, passado no dmf, que se eu não tivesse visto/vivido, não acreditava. Estive fora de casa 10 horas seguidas, coisa a que NINGUÉM, cá em casa, está habituado, nomeadamente os animais da casa. Quando cheguei à noite, tinha as gatas amuadas, uma para cada lado, a ignorarem-me ostensivamente e... esta é a parte estranha... aproximo-me da gaiola e vejo a Chiara (na foto) com o pêlo com sinais evidentes de desidratação. E eu com cara de parva. Aparece a Carina, o mesmo estado, mas com um ar menos desgraçadinho que a irmã. Ai tadinhas, começo eu a 'ladaínhar', ainda sem acreditar no óbvio... querem mananinha? (rodelas de banana desidratada, pitéu que adoram) Nepes. Vai de virar costas e dar voltas à gaiola. E eu: miminhos? (almofadinhas de cereais recheadas de polpa de frutos vermelhos, que costumam deixar a Carina em êxtase) - come-os tu. Desesperada, tiro a tigela da ração, deito a que continha fora e substituo por uma novinha, de aroma a 100%. Espreitam, descem e escondem-se. Totalmente balhelhas, lanço recurso da única coisa a que elas nunca dizem não: minuíns (não é preciso explicar que sao amendoins, pois não?) Descasco dois. Pois que os meta onde quiser. Pego na tristíssima Chiara que não tenta escapar, acaricio-a e encosto-a ao meu rosto. Faço-lhe festinhas nas laterais do rostinho, nos bigodes (os ratos não costumam gostar) até fecha os olhinhos. Repito a operação com a Carina que, habitualmente bastante mais vivaça que a irmã, se mantém quietinha e venham daí festinhas. Só no final do dia seguinte, depois de muita atenção e miminho, é que voltaram a comer. Não comeram até aí nada, dado por mim ou por todos os que tentaram. Perderam peso que pareciam metade do tamanho.

 

Ou seja, qero eu ir a Londres! Mato dois ratos e deixo duas gatas doentes!

 

Mas juro que nunca pensei que fosse possível dois ratos sentirem a falta de alguém desta maneira! Entretanto tenho vindo a abservar o meu comportamento e, realmente, durante o dia, sempre que por qualquer razão passo pela gaiola, baixo-me e falo e faço uma festinha ou dou um qualquer miminho para comerem. E com as gatas levo o dia todo a falar e a fazer festinhas, mas essas já não me admira... já matei um de desgosto, uma de saudades, e a Mia quando fomos os quatro à Disneyland em 2006, 5 dias, mais 24 horas e batia a botinha. Agora ratos?

 

Por isso, quem não acreditar e me quiser chamar maluca, está à vontade. EU TAMBÉM NÃO ACREDITARIA.

Mais sobre mim

foto do autor

Follow on Bloglovin

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D