Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

11
Mar11

Do meu pasmo, ou expliquem lá, que eu devo ser MUITO burra...

Fátima Bento

É pá, ontem deparo-me com isto:

 

Ói, então, expliquem-me lá, "fáchavor", quais são, à luz da Constituição Portuguesa, os poderes do Presidente da Républica.

 

Ói, então, expliquem-me lá, "fáchavor", quais são as obrigações de um Chefe de Estado, neste caso, da républica portuguesa.

 

Ói, então, expliquem-me lá, "fáchavor", porque ética se deve reger um Presidente da nação, neste caso, a pátria de todos (?) nós.

 

Ói, então, expliquem-me lá, "fáchavor", que diacho passou pela cabeça do nosso rico presidente da républica (não é gralha, é mesmo com minúsculas), douto, letrado, cheio de princípios, que põe o seu ego à frente dos interesses do país e apela à revolta, para tirar semelhante coelho da cartola, e disparar um pesadíssimo recado, de que, esperemos, alguém venha a recordar-se que dele veio.

 

VERGONHA...!

 

Quando eu julgo que não é possível ser mais poucochinho, há sempre um sacrossanto político a apressar-se a fazer pose para a camara. Só que neste caso, o energúmeno de serviço não é só um político: é o representante máximo desta nação.

 

É que nem há palavras... irra!

11
Mar11

Dos Homens da Luta, ou ‘… é que não há volta a dar-lhe…’

Fátima Bento

Eu 'sou do tempo' em que a televisão era a preto e branco e só haviam dois canais, que trabalhavam meia dúzia de horas por dia e encerravam cedo e boas horas ao som do hino nacional com a bandeira portuguesa hasteada a ondular ao vento num fundo de céu azul (nesta altura o hino ainda não era da Seleção). Eu 'sou do tempo' em que não havia grande escolha ou víamos o que dava ou íamos fazer outra coisa – alguém se lembra no pós 25 de Abril, qual imperialismo, qual capitalismo!, o Vasco Granja dava-nos grandes tareias de animação dos países de leste, e era para quem queria! Lembro-me que não gostava mas se queria ver bonecos, não tinha outro remédio…

 

Ora, nesses tempos idos da "pré-história", haviam dois grandes momentos televisivos e meio: o festival RTP da Canção; o Eurofestival da Canção, e o meio-grande-momento, a transmissão da eleição da Miss Portugal. Deixemos o meio, e concentremo-nos nos primeiros: era noite de festa jantávamos mais cedo comprávamos snacks, e era uma nervoseira a noite toda até se anunciar o ganhador. Portugal ficava sempre, como ainda fica, num lugar muito re-nhó-nhó, mas isso não diminuía a emoção, nem a gritaria cada vez que alguém dizia Portugal, one point, Portugal un point. Depois com o nascimento dos canais privados, e a explosão do cabo e da Internet, caiu totalmente em desuso a alegria kitsh do dito; volta e meia é furado por grupos como os Lordi grupo heavy (ou trash?) metal, que ganharam há uns anos, e lá se voltou a ouvir falar do dito. Depois, ZUT, black out outra vez, não por "segredo-de-estado", mas puro desinteresse.

 

 

Ora este ano a coisa fia mais fino. Não li, não sabia, não vi, mas parece que toda a gente leu e sabia que os Homens da Luta iam entrar no Festival, e viu, e as audiências devem ter feito história. Obviamente, e tendo em conta que andamos todos muito contentes (!!!!!!!!) com a situação política e económica, ganharam. E muito bem por todas as razões e mais alguma.

 

Olhando para eles temos a sensação que viajámos no tempo e voltamos a estar em 74/75. Acho que a Europa é capaz de estupidificar, mas nós sabemos. E é uma lufada de ar fresco, ó se é, farta que estou de bradar por estas bandas aos céus, falam, falam mas não fazem nada e tal. Pronto, eis um ponto de exclamação!

 

Não é inédito, Fernando Tordo tinha fintado – não se sabe, de todo, como – o lápis azul com “A Tourada” em 1973. E agora temos os Homens da Luta, a incitar ao fala menos e mexe-te mais, ó fáchavor, camarada, e isto uma semana antes da manifestação da Geração à Rasca, que vai ter lugar amanhã às 15horas (não sei se a concentração é no Marquês, se é nos Restauradores, se é na Praça do Comércio. Estou um nadinha a leste…), e vai ser, de certeza, o seu hino.

 

Por isso, e venha de onde vier a vontade ou empurrão, esta lufada de ar fresco é muito benvinda!

 

Bem hajam!

Mais sobre mim

foto do autor

Follow on Bloglovin

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D