Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

17
Mai11

As aventuras da Fátima na terra dos Bifes - II parte

Fátima Bento

Sexta-feira acordei devagar, a ver se sossegava o cérebro de tantas piruetas... leventei-me com tooooooda a calma, tomei o pequeno almoço e vesti-me. A Inês estava na Uni a apresentar um trabalho, e eu decidira ir passear a Abney Park, um cemitério que me parecera lindíssimo em fotos que vira na net, e que fica logo acima da casa da pikena. Saí nas calmas, e mal entrei no dito, percebi que deveria ter tido mais pressa em chegar lá, para poder ter menos pressa para sair. Uma hora é muito pouco, e acabou por ser o tempo que tive para lá estar...

 É o cemitério mais vivo que já vi, um 'cemitério para viver', se me premitem a expressão.

  

 

Encontramos mães a passear bebés nos seus trolleys, yuppies que aproveitam a hora do almoço para fazer jogging ou andar de bicicleta, amigas que passeiam e põem 'a escrita em dia', donos a fazer o passeio higiénico com os bobbys - mas não se vê um cocó que seja em lado nenhum, aliás, o parque prima pela higiene, pese embora o facto de, segundo rezam as lendas, depois do sol se pôr ser local de prostitução e consumo de droga; como não encontramos um unico vestígio, acabamos por nos perguntar se não será um mito urbano...

E estava eu a fazer uma auto-foto quando um gentelman resolve interromper o seu jogging para me tirar uma foto condigna. Por isso, olh'aí eu, cortesia do Bife, com um auricular posto (pois, foi logo a seguir que tirei também o segundo e fiquei a escutar os sons que os animais faziam...)

 

Às tantas, vejo uma "coisa", grandota e gordita, a atravessar a alameda, uns bons metros à minha frente e penso - deve ser uma atazana,enorme! - mas não, não era; quando chego a lugar, deparo-me com um esquilo a meio do tronco de uma àrvore, à altura do meu peito. E depois de engolir o gritinho começo a falar inglês com o bicho - não vá o bichinho não ser poliglota e não perceber o que lhe digo, LOOOOOOLLLL- enquanto procuro a maquina dentro da mala sem olhar para a mesma, aparvalhada por ver um esquilo no seu habitat, pela primeira vez. Eu vasculho a mala e o bicho parado, a olhar para mim como que a dizer: "atão? tirs a merd@ da foto ou não tiras?" e eu "you're so sweet, so pretty..." " 'tou-m'aqui 'tou m'a ir embora, 'tou't'a dizer..." e a p*t@ da maquina lá me vem parar à mão, tiro-a da bolsa enquanto vou bichanado sweet coisas ao bicho que olha para mim como se fosse doida "ATÃÃÃÃÃÃO, tuga, tiras a pix ou não tiras?????". Ligo a máquina, ponho-a em modo foto, e o gajo pisga-se árvore acima enquanto me chama uns impropérios. Apanho-o mas de baixo para cima, como se pode ver...

E depois de tanto verde e de tanta beleza, saio, contrariada, para me encontrar com a Inês em "Roma" - Finsbury Park, perto da underground station, lugar onde param todos os autocarros, ou quase - num Costa, onde bebo um qualquer-coisa-caramel (ou um caramel-qualquer-coisa), abençoada cafeína, numa altura e que a cabeça já funcionava (ou melhor, não funcionava) em roda livre, tal qual uma centrifugadora. E fomos a Angel, onde vi algumas das suas lojas favoritas, e um Centro Comercial muito giro, com uma enorme H&M onde as pessoas atiram a roupa para o chão alegremente (o único exemplo de falta de respeito pelo próximo com que me deparo nestes seis dias), e que me põe a olhar para os bifes "atravessadamente". E tomamos um expresso num café muito simpático, com uns nichos a que chamei "casulos", antes de decidirmos voltar. Quando chegamos a StockeNewinghton (acho que é assim que se escreve), à main street, vamos ao pub favorito da Inês, o 'Coach and Horses', onde ela bebe um half pint de Guiness enquanto eu me atraco a um martini.

   

A acompanhar, viramos duas doses de hóstias de camarão com dip agridoce que mais viessem, mais 'morriam'. E seguimos para casa.

 

 

  

 

E é o final do dia dois.

Mais sobre mim

foto do autor

Follow on Bloglovin

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D