Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

31
Ago11

Desafio sapo

Fátima Bento

O meu museu favorito é, (até agora), o Tate Modern, em Londres. De-fi-ni-ti-va-men-te!

 

Eis as minhas obras favoritas (de entre tantas que nem sei bem...)

 

 Cy Twombly, Bachus, 2005

 

 Jackson Pollock, 1948

 

Jackson Pollock, Summertime, 1948

 

29
Ago11

E por hoje, chega!

Fátima Bento

Fónix! Tive de dar as hostilidades ao quarto por terminadas, que já estou a ver tudo a andar à roda! Cruzes, haja coração (acho que neste caso, este não será o órgão mais importante, mas enfim...)

Bom, mas o ponto da situação é:

 

- Livros: check. Nas caixas, que empilhei - e segundo penso, se demoro muito, o soalho flutuante afunda... o que não tem mesmo graça nenhuma...

- "Lixo": grande parte está a pontos de entrar nos sacos pretos, mas hoje já não tenho pachorra.

 

Está separado por quinquinhentos sacos de supermercado: o papel, o plástico, o vidro, o lixo comum, tralha para dar, mais o raio que os parta... sacos de sacos - sim, leram bem sacos cheios... de sacos - são uns três ou quatro, e não são pequenos... e revistas, pilhas delas, estão dos dois lados da cama - eu juro, juro sempre que vou deitar fora sem olhar duas vezes. Depois, dou uma vista de olhos e eis senão quando descubro que cada uma das 753 publicações tem, pelo menos, um artigo que tenho meeeeesssmmooooooo de ler... ah raios, AMANHÃ VAI TUDO P'Ó LIXO! A VER COMO EU NÃO MORRO POR FALTA DE INFORMAÇÃO, CANUDO!

Para além disso, passar o conteúdo das caixinhas, caixotes, cestos e cestinhos para as caixas de cartão e HOP, para o escritório.

Secretária off do meu quarto to quarto do Tomás.

 

A ver se não me dá a travadinha entretanto, lolol...

 

A prainha hoje estava boa, um vento dos diabos mas a água tinha uma temperatura muito agradável. O pior foi para secar o biquíni: acabei por tirar o top e enfiar uma t-shirt, e ficar a aquecer ao sol, nos intervalos em que o vento dava um break de meia dúzia de segundos... de saída passei pelo bar e fui à casa de banho, tirar a parte de baixo e vestir os shorts - sim, que conduzir de c* molhado é um mimo... não! - e tomei um café enquanto dei uma vista de olhos por uma das quatro revistas que levei - yá, e que não pude abrir na toalha, à cause do vento. E pronto, voltei para casa. E agarrei-m'ó trabalho.

 

Voilá! E agora vou até à cozinha to cook o almoço p'ó homme levar p'ó trabalho amanhã.

 

E depois... ah, depois é ó-ó que é uma limpeza! Até vou já pôr os acupressores!

 

Inté!

29
Ago11

Projetos, que são tão bem-vindos, agora! - projeto1, quarto da moi

Fátima Bento

Semaninha nova em folha, e que vai ser ocupada... quarta-feira vêm cá os senhores da Cabovisão para me trocarem o modem (não me perguntem porquê, este ainda funcemina, mas prontx, querem trocar, troquem!), pelo que tenho de acabar a remodelação do quarto (sim, e a arrumação, dado que o meu quarto parece uma zona de guerra, mas a verdade é que a decoração também vai ficar diferente {#emotions_dlg.brrrpt}), senão os tipos não acedem à caixa ATI , já que esta tem uma secretária (que vai ser mudada para o quarto do meu puto) à frente, e é lá que se desliga o dito cujo.

De resto, vou ter de descobrir que po**@ vou fazer a tanto papel que prolifera naquele quarto - é que só vendo... - acho que vou pôr uma venda e atirar tudo para dentro de um saco preto de 120 litros... e depois, 'ajuntar' as caixinhas de plástico que estão debaixo da cama, deitar o conteúdo para o lixo - se não precisei durante dois anos, é porque não preciso, duh! - e enchê-las com os livros que estão em pilhas desordenadas sobre a secretária, a cómoda, o armário baixo, a mesa de cabeceira, debaixo da cama (nos três lados a que se acede), e pura e simplesmente espalhados no chão. Eu sei que as caixas não vão chegar, mas os desgraçados que ficarem de fora podem ser recolocados com algum tipo de ordem sobre a cómoda e o armário baixo. As caixas-que-até-aqui-estavam-debaixo-da-cama serão imediatamente depositadas no embrião de escritório que me vai da trabalho à seria durante duas semanas.

 

E depois vai ser ir buscar as caixas de cartão que estavam na marquise, e depositar dentro delas os knick-knacks que se dividem alegremente por caixinhas pequenas, cestinhos, cestos, pelas prateleiras da secretária, e por mais caixinhas, e o diabo a sete. Esses serão escolhidos depois.

 

Este será o momento em que a secretária poderá ser trasladada para o seu novo sítio (yesssssss!!!!!!), e em que posso passar a limpar aquelas zonas a que não tenho tido acesso. Esta parte - limpezas - vai ser feita na quarta de manhã, dado que os senhores só cá vêm de tarde, é é a parte que se faz mais rápido.

 

Agora, vou enfiar o biquíni, pegar na toalha, e rumar à praia (eu sei, as horas...), parando antes no McDonalds para almoçar - é que está-me mesmo a apetecer um menu de nuggets, miammm, e trazer duas tartes de maçã. Lá para as quatro horas conto estar em casa, para dar início à odisseia.

 

Por partes: hoje, "lixo" e livros;

Amanhã: Caixas, caixinhas e coise, mais secretária on the move;

Quarta de manhã: limpar.

 

(este post é assim um memorando para mim, para ficar com as ideias organizadas, 'tão a ver? Outros no mesmo teor se seguirão, aquele escritório vai dar-me água pela barba...)

 

25
Ago11

Hummmm, cheirinho bommmm (por enquanto*...)

Fátima Bento

Tenho uma peça-de-roupa-fétiche que há-de cair de velha - e acho que toda a gente tem uma, não é? A minha é uma camisa de noite que comprei na feira há não sei quantos anos, nem sei se já em escudos ou em euros, mas duvido que tenha custado mais de que €1, ou equivalente. Juro, há-de gastar-se, ter buracos e eu ainda hei-de andar toda pimona com ela vestida... volta e meia, lá vou eu toma café com a mãe das minhas sobrinhas, com ela vestida (não se assustem, moramos no mesmo patamar do prédio, lololol...

É uma borbotoada pegada, mas é:

a) fresquinha

b) fofinha (suave e molinha)

c) confortável

d) é que já um um bocadinho de 'eu'...

E há um nadinha fui apanhá-la ao estendal, onde passou o dia. Para além da sensação boooooa de a vestir, ainda tive o bónus do cheirinho a sol.

 

Já lá dizia o outro que as (algumas) coisas boas da vida (até/ainda) são de graça...

 

* Não tarda, que estas coisas são um instantinho, vem o inverno e a secadora recomeça a ser usada, e mesmo com as toalhitas Hyperdoux, o cheiro com que a roupa sai não é dos melhores...

25
Ago11

Experimentar para acreditar, é capaz de ser o lema...

Fátima Bento

Bom, eu não sou NADA dada às medicinas tradicionais. Isto até pode parecer incongruente para quem dá um enorme valor à meditação e gosta tanto de hatha yoga (e de uma modernice chamada body balance). Mas a verdade é que entre um tratamento homeopático e uma ida à farmácia buscar um 100% químico, nem penso duas vezes. Coisas...  

 

No entanto, há dias deparei-me com um produto novo que me despertou a atenção... sabem aquelas pulseirinhas anti-enjôo? Agora há uns adesivos anti-insónia que actuam por acupressão. E se há coisa que sei que é verdade, por exemplo, é a reflexologia... por isso, quanto à estimulação de pontos-chave poder fazer (algum) efeito, aqui a gaja, tanto compra a teoria como comprou os adesivos.

 

Agora deixem-me  inserir-vos no contexto em que os experimentei, ontem, pela primeira vez: acordei às seis e meia, e levantei-me espertíssima e cheia de energia. Um pouco antes das dez deitei-me e li um bocado e adormeci, acordando logo depois das onze. Às três fui para a praia com duas crianças (as minhas sobrinhas) e a mãe, onde estivemos duas horas com uma ventania dos diabos, daquelas que, apesar de não nos fazer comer areia, nos deixa ainda mais cansados de que a praia com crianças pequenas só por si, já faz...

 

Ou seja, quando cheguei a casa, quase, quase que estava pronta a ir para a cama...

 

E resolvi experimentar os adesivos, eram assim nove e meia quando os coloquei, um em cada pulso, com o meu marido com olhos de basset hound 'isso quer dizer que te vais deitar já?' e eu 'ná, nem pensar!' 'mas eles dizem que para colocar 30 minutos antes de deitar...' e a gaja, a inventar '... pelo menos...'

Eu até admito que o poder da sugestão é obra (olh'aí os estudos com placebos para comprovar a teoria...), mas a verdade é que às dez e meia dei comigo com uma moca 'das antigas'... estava tãããão relaxada que me deu para dizer piadas-sem-piada e de me rir à brava das mesmas... (escuso de me humilhar mais que já perceberam a ideia, não já? Obrigada). E lá fui eu para a camita, onde li mais um bocadinho, e depois apaguei as luzes e... não adormeci logo (não desliguei o alarme-do-vitor-que-ainda-há-de-vir-deitar-se, parva...), mas fiquei sem pensamentos escuros - e acho que é comum a todos que os pensamentos sombrios escolhem esta hora para 'atacar'. Acho que adormeci antes do gajo se deitar... e hoje acordei eram oito. Dormi como um bebé*. Fui à casa de banho, tirei os adesivos, e fui-me deitar mais um bocadinho. Adormeci!!!! Uau!

O tratamento é para fazer durante dez dias, e depois ir alternando noites com adesivo, com noites sem. Ou seja, eu vou levar a coisa até ao fim. Depois conto como foi... neste momento, estou positivamente admirada - ainda para mais, quando dizem que leva de sete a dez dias a começar a fazer efeito(!!!)

 

* eu tomo um ansíolitico e um anti depressivo, ambos de baixa dosagem, visto estar a fazer o desmame, à noite. Ontem também os tomei, óbviamente, mas a diferença é que o tempo de espera até adormecer, desapareceu, e como disse atrás, não surgiram pensamentos obscuros, presença habitual nesse espaço de tempo. Hoje o ansiolítico, como previsto, vai ser reduzido para metade. 

24
Ago11

Mais um desafio do sapo aceite!

Fátima Bento

Ai a nostalgia! Os meus primeiros comentários (dois!!!!) foram logo no primeiro post. Sortuda, aqui a menina, hein?

 

"Angelkitten,
normalmente não deixo comentários nos blogs que visito, mas com vc será diferente, viu? Vou te colocar nos meus favoritos e vou te acompanhar diariamente...
Pensei que eu fosse a única mulher na face da terra cujo "maior" problema seja o que fazer de jantar... Claro que esse nunca é nosso principal problema como D.d.C., mas colabora para estarmos a beira de um colapso nervoso, sim, hehehe... Porque resolvido isto hoje, amanhã já está de volta. Nunca tem fim...
Hoje tiramos o pó, aspiramos o chão... E quando vamos ver, já tem cesto cheio de lixo, migalhas por toda mesa, mãozinhas engorduradas nos vidros... Quando fazemos homepages, podemos até abandoná-las que quando voltamos, continuam brilhantes e fresquinhas como quando as editamos, não é mesmo?
Olha, pode até parecer que eu esteja reclamando. Mas não estou não. Estou comentando a vida que escolhi e que estou levando há 10 meses...
Se vc quiser me conhecer, venha visitar meu blog: http://sylvinhaemportugal.blogs.sapo.pt/
Conto lá tudo, tim-tim por tim-tim, desde abril/04 :-)
Um abraço
Sylvia
"

Bom, claro que entretanto perdi o rasto à Sylvia... por curiosidade, fui agorinha mesmo visitar o blogue dela, e deparei-me com este cenário desolador:

Por isso, se andas por aí na blogosfera e por aqui passares, deixa-me um olá!

 

B'jinhos grandes!

24
Ago11

Acho que vou mudar o nome das gatas...

Fátima Bento

Vou chamar Copy a uma e Paste à outra. Indiferenciadamente, porque nem interessa nada - as gajas andam em círculos, a imitarem-se uma à outra, e a coisa tem tanto de patético como de amoroso... a Mia, desde que é "gente" que dormia, de verão, ao meu lado, costas com costas, cabecinha encostada na minha nuca, e no Inverno, dentro da cama, ao meu colo. A Piccolina, quando se decidia a tentar a sua sorte na cama, que de noite era propriedade exclusiva da 'tia', ficava no cantiiiiiinho inferior esquerdo, i.e., entre os pés do dono - isto meio a medo de

a) a Mia se passar da marmita e se atirar a ela, qual gato a bofe, e expulsá-la sem quaisquer pruridos, ou

b) o dono mexer os pés e ela levantar voo.

Entretanto, e porque descobriu que a tia é uma grande cobardolas, que rosna mas depois foge (assim 90% das vezes - os outros 10% é que é o camandro...), começou a chegar-se para o lado esquerdo, i.e, para o meio dos meus pés. Se ela se enrola lá antes de eu adormecer, levo a noite toda com cuidado para não fazer nenhuma avaria; mas como ela gosta de aparecer mais tarde, assim a uma hora que ninguém desconfia... bom, uma noite destas acordei com um **pás**, que ainda estou para ser onde foi parar o 'projétil'...

Há um ninho (um daqueles cestos-cama em espuma) na marquise. E é um, porque se fossem dois, nenhuma delas lhes ligava pêvas... Para que suas excelências aderissem ao projeto, tive de lhe pôr um lençol dentro, com o meu cheiro... também há, no mesmo sítio, um banco para que as damas possam ver a rua. Não raro - nada raro, mesmo - está uma em cada lado. Quando a que está no ninho se levanta, ainda mal saiu da marquise e a cama tem inquilina nova. E isto repete-se em todo o lado! Mia no braço esquerdo do sofá, Mia ir fazer chichi, Piccolina no braço esquerdo do sofá... e por aí adiante.

As duas bebem água no lavatório da casa de banho. Quando me levanto, é a ver quem lá chega primeiro: às vezes nem é para beber agua, é mesmo só para ficar a olhar para a outra lá do alto com ar de: ah-ah!

 

A Mia sempre se pelou por mastigar plástico (!!!); a Piccolina foi mais longe: come-o(!!!!!). Não raro, quando deixo sacos no corredor de um dia para o outro, no dia seguinte vou para lhes pegar... e não tenho como porque as asas... pffftttt!!!!

Ontem foi a última novidade: quando vou apanhar ou estender roupa, a mais pequena faz-me companhia no parapeito da janela (o que diminui a eficácia do acto em 70%) ontem, depois de a Piccolina se ir dedicar a outras aventuras, pela primeira vez, a Mia saltou para o parapeito!!!! Isto depois de na véspera ter cometido o sacrilégio de roubar - sim, roubar! - um dos ratitos-fétiche que costumo comprar para a Piccolina na Happy Pets, e que a fazem virtualmente, entrar em transe. A desgraçada da dona do ratito olhava para a tia, e eu até via em rodapé as coisas meigas e lindas que se passavam naquela cabecinha...

 

Posto isto, reafirmo: uma vai passar a Copy, e a outra a Paste. E mái nada!

23
Ago11

Dia De Ter Pena De Nós

Fátima Bento

 

Eu cá acho que todos devíamos ter assim, de vez em quando, um dia-de-ter-pena-de-nós (DDTPDN para os amigos). Baixavam-se os estores do quarto, punha-se a caixa de kleenex na mesa de cabeceira - e uma garrafa de agua ao lado da cama, para evitar a desidratação - uns cds tristes, e prontx. Vai de matutar na vida, do que se queria ser e não se é, no que se podia ter sido e não foi, no quanto a vida que se tem difere na vida que se pensava ir ter... e ainda podemos ser assim um bocadinho mais particulares, e indignarmo-nos até às lágrimas com a lembrança da boca que a vizinha do 4º frente fez, ou dos comentários depreciativos a mãe fez o favor de repetir à exaustão, até fazerem tão parte de nós que deixámos de diferenciar a realidade da ficção.

Vale tudo, tudinho. E depois de ter rebuscado bem os confins da memória, e ter chorado um bom bocado, puxar de um qualquer DVD daqueles que fazem chorar as pedras da calçada, e acabar a caixa dos tissues. Depois, virar para o lado e dormir umas boas duas horas ou mais, para 'curtir' a tosga emocional. E levar o resto do dia entre tristezas e fungadelas, que quando acabar acabou, e só vale ter pena de nós aí passados uns 3 meses (no mínimo! O ideal são 6!), por isso é de aproveitar bem o dia.

 

No dia seguinte, hop fora da cama com um sorriso, e com as memórias da véspera guardadas numa caixa, a primeira coisa a fazer é pô-la na arrecadação, com uma etiqueta com a data, para evitar a batota e decidir fazer um DDTPDN antes do limite traçado - não esquecer de juntar os cd ouvidos e dvd vistos.

E buga lá continuar com a vida que queiramos quer não fomos nós que decidimos ter, de uma maneira ou de outra. Porque, em última instância, a decisão final é sempre nossa (e contra mim falo, que há uma boa dose delas em que não me lembro de ter tido voto na matéria... mas aceito o pressuposto da responsabilidade de bom grado).

 

Mas já repararam bem o jeitaço que um DDTPDN dava? Era um dia de 'miséria' absoluta seguido de 90 a 180 de total e absoluta proibição de esboçar um 'ai coitadinha de mim' sequer entre pensamentos. Em termos de economia e poupança, resultava, não resultava? E era cá uma limpeza mental e emocional, que nem vos conto!

 

(isto tudo porque as férias foram uma real merd@, e eu tive de enfrentar uma série de porcarias que andava a conseguir fintar há uma serie de tempo, e com tal maestria que até quem vive comigo se tinha esquecido como realmente é. E eu até preferia acreditar na minha versão renovada a re-enfrentar a bolorenta... ou seja, estou a precisa de um DDTPDN, mas não me apetece, prontx).  

22
Ago11

Ponto de situação das férias

Fátima Bento

Eh, pah, hoje de manhã o homme da casa voltou ao trabalho. E a verdade é que, por mais que me esforce, não consigo conceber uma continuação para as férias. Ou seja, eu até irei,  com certeza, à praia com as minhas 'sobrinhas', mas férias, para mim, kaput.

E foram uma coisa bastante estranha, estas férias... durante estas três semanas, a tensão arterial manteve-se teimosamente a 90-70, o que me limitou bastante os movimentos e a energia para o que quer que fosse. E para encerrar com chave de ouro, uma bloody enxaqueca estacionou no lado direito da cabeça na passada quinta-feira à noite, onde teimosamente se mantém até hoje, não obedecendo nem a paracetamol nem a acido acetilisalicílico, e "paralisou-me" à seria. Amanhã espera-se (ansiosamente) a chegada do período, e dou 24 horas para a maldita desaparecer. Se não, ENTÃO irei ao médico.

 

Aqui em casa houveram muitas mudanças, baralha-e-torna-dar, o jogo das cadeiras jogado com roupeiros, e camas, e o quarto da Inês finalmente desmantelado, mas ainda muito longe de se tornar no meu escritório... limpezas profundas, com a minha parte ainda por fazer. Mas organizaram-se uma serie de coisas, e deixaram-se outras tantas a jeito para continuar.

 

Praia, fez-se de manhã, apróximadamente dez dias no total, três deles a três, os outros a dois. Não li um único livro (há uma primeira vez para tudo...), vi três ou quatro filmes, mas nada digno de registo.

 

Fui aos saldos, comprei o blusão na Zara de que já aqui falei e pouco mais. Tenho uma mão cheia de óculos de leitura com duas dioptrias, para espalhar pelas carteiras que mais uso, manter um par aqui na sala e outro na mesa-de-cabeceira. Inteirei-me das tendências da próxima estação. Bebi muita água, comi saladas, wraps fantásticos feitos por mim, e coisas saudáveis feitas no wok. Empaizinei-me de doces, e devo ter engordado aí uns três quilos, a perder em Setembro.

 

Fiz planos, nada no papel, tudo na carola, para pôr em pratica na rentrée. Claro que o próximo passo vai ser passar para o papel, e expalhar em todas as direcções, para escolher a direção a seguir.

 

Falta um mês e uns trocos para fazer aninhos. A minha prenda TEM DE SER o escritório, já com as estantes, e as largas dezenas de livros enfileirados nas preteleiras.

 

Até lá, a ver se passa a p*t@ da enxaqueca, para eu começar por algum lado...

Pág. 1/3

Mais sobre mim

foto do autor

Follow on Bloglovin

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D