Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

29
Fev12

Um gajo mal medicado pode matar. E não me venham dizer que é imputável.

Fátima Bento

Eu tinha por intenção não voltar a falar de depressão e afins por estas bandas, mas preciso mesmo de fazer este post para memória futura.

O meu psiquiatra, que me acompanhou durante 3 anos, saíu do comparticipado para o particular, e eu acabei por arriscar uma consulta num dos outros especialistas residentes no mesmo local onde o meu dava consulta.

Sabe-se, quem não sabe fica a saber, que desde a minha infeliz tentativa de incursão no mundo laboral, e posterior resultado, entrei numa crise depressiva que se foi aprofundando, e aumentando com o desenrolar do tempo.

Ora como nesta altura do campeonato anda meio mundo a ficar estressado à conta da atual conjuntura socio-económica, só consegui consulta para a passada sexta-feira 24. Juro que andei a contar os dias.

Agora é assim:

- não tenho nada contra o médico que me atendeu. Pareceu-me competente, capaz, sendo a única 'falha' detetada à primeira vista, o facto de 'eu não estou aqui para dizer mal do trabalho dos colegas mas ele hipermedicou-a'. So long coorporativismo, que se é uma coisa que às vezes até dá raiva, é, no fundo um sinal de respeito.

- E então foi assim:'vamos começar com uma abordagem suave, de dosagem baixa, pefiro assim, e se o doente necessitar depois aumentamos a dosagem*, rebéubéu'... falei pouco, para uma consulta de psiquiatria, mas deu-me algum alento o facto dele se ter apercebido de eu entrar às vezes em desespero**. Eu não teria escolhido uma expressão melhor...

- Saí do gabinete com receitas e uma cábula das tomas. De caminho para casa passei na farmácia, comprei os ditos medicamentos novos - a juntar aos que eu já estava a tomar e que ele não retirou - e comecei o tratamento nessa noite.

- No dia seguinte, como era de prever depois de, na véspera, ter lido as bulas - que mais pareciam testamentos - não estava propriamente aqui. Dormi o dia todo.

- Domingo, fui almoçar aos sogros e aguentei-me bem (até consegui ir ao Minipreço comprar iogurtes e não desmaiar na fila, apesar de ter ficado mal disposta - que era uma das previsões das bulas de pelo menos dois dos novos medicamentos). Não conduzi, óbvio, mas ninguém diria que estava drogada até à medula. Cheguei a casa, deitei-me e dormi o resto da tarde. À noite vi os Óscares (g'anda maluca!). Obviamente tomei tudo, certinho e diretinho, quando me deitei, e no dia seguinte segui o mesmo princípio.

 

[PARETESIS - os efeitos secundários (não me fiando nas bulas, que não tenho por hábito incorporar o que leio e passá-lo à prática) que tenho sentido são:

  • dislexia: é giro, teclo uma coisa e quando vou a ver está lá outra que "não sei de onde veio" e não faz sentido nenhum (a escrever o post anterior levei três horas e hão-de reparar que tem menos hiperlinks de que é costume...)
  • ausência de um centro de gravidade digno de tal nome. Digamos que as portas passaram a ficar mais estreitas e estou cheia de nódoas negras de acertar nas ombeiras...
  • sonolência... nem por isso. Sinto é necessidade de dormir. Já sentia antes, mas era reativo, neste caso sei que é provocado pelos químicos.
  • agressividade. Essa foi a parte mesmo assustadora.
  • ansiedade. Aquela merd@ era  suposto: contrariar-me a depressão (atordoada como me deixou, nos dois primeiros dias, quase que nem conseguia pensar, por isso, cumpriu - até certo ponto), e controlar-me a ansiedade, para evitar que eu entrasse no referido desespero.
  • Repito: CONTROLAR A PUT@ DA ANSIEDADE.

fim de parentesis]

 

Ora existem momentos no meu dia mais propensos à ansiedade. Um deles é  hora de fazer o jantar, que para mim é pior que cuspir na sopa e bater na avó. Entro sempre, ou quase sempre, em aflição, ou porque não decidi (ainda) o que o que vou fazer, ou porque quero ver aquela noticia e o puto começa a pressionar, ou... ou... pronto, a hora do jantar é uma hora negra. Segunda-feira saltaram raios e faíscas por todos os lados, praguejei, disse asneiras e palavrões (o que não foi uma estreia mas estes foram MUITO a sério...) fiquei atarantada, vim desembestada da cozinha para a sala despir-me para me deitar em vez de ir diretamente para o quarto, atirei com a roupa, era o Vítor a olhar para mim com cara de WTF??, e eu furibunda, furibunda, furibunda.

Deitei-me.

Não conseguia respirar.

Ouço o filho (que ficou solenemente sem jantar, ai-de-quem-se-atrevesse-a-contrariar-a-besta-enraivecida!) perguntar ao pai: 'queres chá?', assim, como se não tivesse acontecido nada(!!!), e recomeço a praguejar, a esbracejar, a espernear a mandar vir com um e outro por andarem a conspirar nas minhas costas (ói a paranóia), "que está tudo bem, eu é que sou a maluquinha!" Aparece-me o marido no quarto: Ó Fátima, eu nunca te vi assim! Palavra de honra, já passaste por tantas mudanças de médicos e de medicação e nunca te vi assim! E o meu lado lúcido responde-lhe isto é tudo da medicação há um que provoca surtos psicóticos e isto é psicose, e tunga, o outro lado continuava a argumentar que 'faz favor de dizeres ao teu filho que eu estou doente e que ele tem de ter cuidado com as merd@s que diz, que eu estou mais sensível' (diz a Godzilla). Marido bem mandado, volta com a resposta do filho: 'sabes  que ele disse? que também anda instável' (capaz de ser mais normal, ELE É QUE É O ADOLESCENTE, DUH!).

 

Pausa.

 

Vá lá, botem essas gargalhadas todas cá para fora que eu já estou fartinha de rir a escrever isto - que na verdade não tem piada nenhuma, mas rir de nós próprios é sinal de sanidade (isto só por si JÁ É uma piada)

 

Ontem.

Levantei-me com vagas de 10 metros a embalar a embarcação, às sete da manhã. De ombreira em ombreira (as nódoas negras contam-vos a estória, se quiserem...) entrei na cozinha e liguei a máquina de café (um dos efeitos das drogas é baixar a tensão, e o café ajuda, yeyyy! E deixar a boca seca. E pastosa. E a saber a cu) , misturei o iogurte com o müesli, e consegui chegar à sala sem tocar nas ombreiras das portas. Puxei do teclas, e pus-me a jogar mah-jong.

Agora, passado mais um dia, em que a ansiedade, à-hora-do-costume-começou-a-escalar, a coisa é assim:

- se alguém diz que eu não tentei tomar aquela gaita vamos ter mortos e feridos...

- se alguém pensa que eu vou continuar a:

- passar as passinhas do algarve, drogada até ao tutano, com o triplo da medicação qu'este senhor me deu a juntar a uma boa parte da que eu já tomava mesmo achando que eu estava "hipermedicada" (óy, ou é de mim ou isto não faz sentido?)

- sujeita a mandar com um tacho na carola de alguém à hora da janta (e os meus são de inox 18/10 com fundo triplo, pesam que se fartam...) - ou à hora que me contrariarem à seria, com o que estiver à mão...

- a beber litradas de água (isso já eu faço, mas neste caso é) porque a boca está seca e pastosa e a gaita é que nem adianta de nada...

- a comer que nem uma desalmada para ver se a boca deixa de saber a cu (presumo que seja a isto que o cu sabe...), e ela continuar a saber mal, e eu continuar a comer, etc., etc...

- sem conduzir porque, apesar (e isto é giro) de nas bulas dos medicamentos não proibirem a 'condução nem o manuseamento de maquinaria pesada', dizem que 'devemos avaliar se estamos em condições de conduzir', seja lá isso o que for...

- ESTÃO MUITO ENGANADOS!

Vou fazer uma inversão de marcha e confiar no meu bom senso... ora se quando eu comecei o tratamento com o dr N., farrapito que eu estava, ele me receitou 100+100 mg de sertralina, 5mg de diazepan ao jantar, e 100mg de trazodona ao deitar (acompanhado ou não de cymerion, a usar em caso de sos) e a coisa funcionou, porque diacho é que eu hei-de empaizinar-me com 100 mg de sertralina +40 mg de pacinone, repete os 40mg de pacinone ao jantar e ao deitar, amando-lhe com 30g de Mirtazapina + 50 mg de Seroquel SR (acompanhado de cymerion, se eu achar que sim).

Ora, BATATAS!

Volto à casa da partida e nem quero os duzentos euros. Fico-me pelos 200mg (100+100) de sertralina/dia, 5mg (ou 10) de diazepan ao jantar e 100mg de trazodona mais um cymerion ao deitar (desmamar este último, à partida, no prazo de um mês, tops).

Canudo, lido com esta porcaria há 32 anos, GARANTO QUE ESTE NÃO É o tratamento que necessito. Ó sô tôr, foi um nadinha (tipo 180º) ao lado...

Desculpem o testamento. Mas ficou registado porque posso vir a necessitar de verificar datas e outros pormenores.

 

 

Ciao, belli!

 

* se isto á assim com a 'dosagem baixa, imaginem o senhor aumentar a dita!

** Ná! Desepero foi o estado que atingi na segunda-feira à hora do jantar... ensando bem, acho que ultrapassei largamente o desespero, então...

27
Fev12

Óscares 2012 - ou - Como eu não consigo ser políticamente correta...

Fátima Bento

Estão à espera que eu emita as minhas opiniões sobre o que vi na passadeira vermelha e desate a dizer nomes de gente como Elie Saab, Marchesa, e McQueen? Ná, esqueçam lá isso, que tive mais que fazer de que passar a noite a pesquisar quem é vestido por quem e a procurar sites que estivessem a fazer streaming da coisa.

Ná.

Nem agora, que já passei a vista, obliquamente, em alguns blogues de trapos que mostram tudo ou quase, o vou fazer.

Mas, e só para que não digam que sou mete-nojo-c'a-mania-qu'é-mais-qu'as-outras, prontx, duas - mas só duas - opiniões:

Gostei da Paltrow. Gosto de branco - seja ele puro, gelo, ou marfim - e de linhas simples.

Não gostei da escanzeladíssima Angelina. E se sou da opinião de que uma coisa boa pode ser ótima, mas há alturas em que os bisturis devem ser deixados para as atrizes mais próximas, oubiste, Angelina, filha? Lembra-te da australiana que já quase nem mexe...

Quanto ao resto, só não vou dizer que dei por mal empregues as horas que não dormi porque ninguém me obrigou a ficar prantada em frente à tv até às (coisa de) 5:00 a.m.

Senão dizia.

É assim: vi 'Os Descendentes' no sábado, e 'O Artista' ontem (ainda não vi o 'Hugo'). Estava, portanto, fresquinha e cheínha de opiniões. Passando as designadas categorias técnicas adiante - mas não lhes tirando a importância, assumindo apenas que a maioria de nózes que

a) gostam de cinema;

b) vão ao cinema;

c) vêem cinema

d) falam sobre cinema

não percebem pevides sobre o assunto, ou quase, falemos das habituais:

  • Melhores Secundários - sem surpresas, e muito bem atribuídos. Plummer - ó homem, hãn, 82 anos para receberes um Óscar, e foi preciso sair do armário! Octavia-eat-my-shitt-Spencer, parabéns!
  • Melhores principais - nesta categoria sofri. Saiu um loooongo suspiro de alivio quando chamaram a Meryl, mas rosnei quando chamaram o Dujardin

E pronto, a partir daqui foi tudo p'ós franciús. Ele foi produção, realização e filme. Eh, g'anda festa!!!

 

Este ano a Academia achou por bem homenagear o cinema. Tinha dois grandes blockbusters para o efeito, 'Hugo', de um Scorsese com o qual não estamos familiarizados, e 'O Artista', filme-surpresa-mudo que arrrebatou unanimidades. Por essa ordem de ideias, poupavam os espectadores, dividiam os óscares e prontx, poupavam-se uns milhões, que se calhar até davam para mais um filme à la Hugo e/ou dois à l'Artiste. Mas não.

Ora 'Os Descendentes', claramente o meu favorito, está nos antípodas do grande vencedor da noite. A prestação de George Clooney é diametralmente oposta à de Jean Dujardin.

Enquanto num filme mudo todos os gestos têm de ser exagerados, por forma a ultrapassar a barreira da falta de voz dos intervenientes, n'Os Descendentes', o que nos agarra é precisamente a contenção dos personagens. O equilíbrio perfeito de Clooney, nem um milímetro a mais nem a menos.

E se formos pesar conteúdos... bom aí eu penso que não há qualquer comparação. 'O Artista' é uma fantasia de Michel Hazanavicius , enquanto o filme de Alexander Payne é uma abordagem da realidade de pés bem assentes na terra.

Bem vistas as coisas, nem há comparação entre ambos... já Hugo, aposto, pertencerá à galeria de Avatar, de ET, talvez dos Regressos ao Futuro, dos Star Wars, bom, à galeria dos inolvidáveis.

Quanto ao resto, Billy Crystal - mais um daqueles casos em que às vezes vale mais aparentar a idade que está assinalada no BI - terá cumprido elegantemente a tarefa de que foi incumbido - i.e, booooooorrriinnngggg!!!!!!!!!!!!!! - e segundo parece, o Sacha Baren Cohen a.k.a o Ditador, foi corrido antes das câmaras estarem ligadas.

Ai a saudades que eu tenho DESTA noite dos óscares... (cliquem e vejam que vale a pena...)

 

Volta, Hugh! (só mais um cheirinho para matar saudades...)

22
Fev12

Não-sei-que-nome-dê-a-este-post-e-tenho-de-me-ir-deitar-senão-depois-acordo-o-gajo-que-tem-andado-com-insónias-e-depois-não-consegue-pegar-no-sono-de-modos-que-o-titulo-vai-ficar-mesmo-assim-ok?

Fátima Bento

O meu fiel corcel continua porquinho; a senhora que pré-lava os carrinhos à pressão (e que era senhor, a última vez que lá fui, e nem foi há muito tempo...) tirou a tarde, pelo que 'inda acabei por ir ao cinema. Ou seja, menos um que me falta ver para a grande noite de domingo... depois faço uma resenha, ok?

 

De qualquer forma, ficou por contar, acho eu, que a Nespresso já tem disponível em loja o fantabulástico Kazaar, edição limitada do inverno 2010, reeditado agora em 2012, e que até HOJE só estava disponível on-line. Ai qu'aqui a menina ficou tão feliz, tão feliz que trouxe 5 sleeves. Yuppi!!!! E à resposta afirmativa à pergunta 'aceita um café', ainda rimos com a minha escolha: Cosi. Para quem não sabe, a intensidade de sabor é medida de 1 a 10 - com exceção do Kazaar, que é um 12. O Cosi é um 3, o mais suavezinho de todos... a mocinha estava convencida que eu ia tomar o meu favorito, e tungas, fiz inversão de marcha. Eu explico: os pacotes de açucar nespresso têm 3g, o ideal para apreciadores de café.

Certo.

Mas um café de intensidade 12 com 3g de açucar acho que me fazia chorar... por isso, optei por ser gentil comigo própria e respeitar a minha costela gulosa, e tomar um suave onde ainda se sente o sabor do sucre.

 

Entrementes, na incontornável ida à Fnac, comprei um livrito p'ó pikeno, Blink, que é assim um livro de psicologia aplicada à gestão de empresas (o gajo tem receio de seguir psicologia e ir parar ao desemprego, mas é mais forte que ele...). Pareceu-me muito interessante, tem excelentes criticas, o autor é o novo guru a quem todos veneram... a modos que hei-de dar uma voltinha no gajo (no livro, não no guru, hein...) 

- isto quando ele acabar o que lhe emprestei e ainda não li, mas prontx, também tenho uma pilha em espera que parece a Torre de Babel... e digamos que ando sem motivação para ler (chamem-lhe perguiça, mas olhem que não é).

Mas ela (a vontade) há-de voltar, e depois vão todos de uma assentada, ihihih...

E para abrilhantar as minhas leituras, para banda sonora, comprei isto: 

... de ouvir e chorar por mais.

 

E prontx, estes foram os miminhos do dia/mês. N'há cá mais abébias, que à bocadinho tivemos noticias do mecânico e - óvalhamosanto!!!! - os próximos quatro meses vão ser...

ai...

 

- bom, é assim: entre mortos e feridos, alguém há-de escapar. Ai há-de, há-de!

Ciao, belli!

22
Fev12

Tadinha, tadinha, tadinha!!!!!!!!

Fátima Bento

Desgraceira completa:

  • eu sem Rocinante durante nove-dias-nove;
  • as cápsulas de ristretto que acabaram ontem, e eu à espera do corcel para ir buscar mais (qu'isto online têm de ser 200 - e guito?);
  • as gatas sem saquetas de Royal Canin húmidos (dividem uma ao pequeno almoço);
  • eu sem Rocinante (ainda não tinha dito, pois não?) nove-dias-nove.

Então foi assim:

Hoje acordei, dirigi-me à Citiz e tirei um decaffeinato intenso (a última cápsula que havia cá em casa), misturei o meu iogurte natural cremoso (quero lá saber das calorias que podia poupar se não fosse cremoso!), com o muesli, vim para o sofá, liguei o pc, abri o jigsaw do dia seguidinho do mahjong do dia como faço d'habitude. Quanto mais me apróximava de acabar o segundo, mais me sentia assim numa mistura entre mal disposta e com formigueiro na pontinha dos dedos. É que, desde ontem às 18 horas e uns pózinhos

{#emotions_dlg.star}{#emotions_dlg.star}O ROCINANTE TINHA CHEGADO DA OFICINA!!!!!!!!!{#emotions_dlg.star}{#emotions_dlg.star}

Agora imaginem o desautocontrole, a ansiedade, a nervoseira, essa caldeirada toda adicionada ao fato de ir buscar as p*tas das cápsulas e comprar o nom-nom p'às renhaus, num carrinho todo afinadinho, daqui ao Fórum...!

Ora esta-se mesmo a ver: a melher atrofiou-se toda. A serio, não sei se era falta de cafeína, s'o que era, mas valhamosanto, que meti os pés p'as mãos como gente grande... lá fui atestar (qual atestar! Mal bateu nos €50 larguei o manípulo, olha, melher, estica-a e faz chegar! A gasosa 'tá quase a €1,70! De qualquer um ficar atordoado...), e aproveitei para meter cafeína p'á veia. E vamos lá para a autoroute, e dá-me uma cãimbra na virilha direita (ó imaginem lá a tensão em que os músculos estavam). E pronto, a coizita lá foi toda ao lugar, e quando voltei já era pro outra vez.

 

E agora vou ali ao auto-serviço para que mo lavem e eu o aspire qu'o gajo tá tão, mas tão porquinho, qu'inda não houveram b'jinhos p'a ninguém.

 

Eu já volto, sim? Inté mais loguinho...

20
Fev12

I-N-A-C-R-E-D-I-T-Á-V-E-L!!!!!!!!!

Fátima Bento

A verdade, mesmo verdadinha, é que nem sei o que escreva!

O tema é este:

Eu não percebo. Eu juro que 'não percebo'.

Esta era a lista dos candidatos:

(O Alfaiate Lisboeta, senhores, e ganha-m'aquela coisa aquele blogue? EU SEI que o conceito do alfaiate não é original, mas mal por mal, É UM CONCEITO... e ele é  mesmo bom no que faz...)

Se houver por aí uma alminha caridosa que consiga, 'ó fáchavor' de me explicar o PORQUÊ do resultado, sim????   

A única coisa boa no meio disto tudo foi a distinção deste:

Totalmente merecida!

 

Quanto ao blogue da Pipoca, é pah, ui, eu sei, eu sei, sou uma invejosa, não é? É que colar o rótulo de invejosa numa pessoa é tão fácil...

A questão é:

Fónix, uma gaja que durante um ror de tempo (aí uma semana, acho eu) fala todos-os-dias do SEAT Mii (e inveja, aqui, só dos números que lhe entraram na conta bancária à conta de tal isso, e mesmo assim...), e que post sim post não fala na Nazi-do-Exercito (i.e., personal trainer), com quem faz TRX (acho que é o nome da coisa), e mais combat, e mais isto e mais aquilo, no ginásio...

 

Olhem, é assim, não vou escrever mais nada, prontx. não percebo, e nem é para perceber.

Isto o que está a dar é ter contatos, prontx.

 

E quanto à inveja, só tenho a dizer:

20
Fev12

Para guardar, religiosamente, como um tesourinho

Fátima Bento

Começar não só o dia como a semana a chorar, no meu caso, é bastante positivo (ó-caixa-de-pandora-que-não-abres-nem-com-gazua-nem-com-pé-de-cabra...!)

 

- Não sei se é preciso gostar muito de Sinatra.

- Não sei se é preciso gostar muito de violino.

- Não sei se é necessário ter presente a letra da canção em causa.

- Não sei se é para recordar que o local em que esta atuação tem lugar foi pisadoa dela 'Voz' vezes sem conta

- Não sei se é incontornável pensar que estamos em New York.

- Não sei.

Mas quando vi, quando escutei isto, chorei.

E valeu a lágrima que escorreu...

(só não gosto do mise-es-scéne do palco, parece um bolo de aniversário gigante...)

 

18
Fev12

Funeral de Whiney hHouston - e Bobbi Brown igual a si próprio.

Fátima Bento

Hoje foi o funeral de Whitney Houston, cuja elegia demorou quatro horas e terá sido transmitida em direto para largos milhões de pessoas.

Vi a versão Digest à bocadinho no 'Jornal da Noite', e houve uma coisa que me despertou a atenção: segundo o jornalista, 'o ex-marido[Bobby Brown] terá abandonado a cerimónia antes do final, alegando não concordar com a distribuição dos lugares'.

Ficou por apurar se o senhor queria ir no carro funerário a acompanhar a urna para, no trajeto para o cemitério, lhe dar a carga-de-porrada-da-despedida - como diria o nosso amigo Sinatra, "... just make it one for my baby, and one more for the road..."

 

De qualquer forma EU CONCORDO com o gajo: definitivamente a distribuição de lugares estava errada: QUEM DEVIA IR DENTRO DO ESQUIFE, A ENTERRAR, ERA ELE.

 

E contra factos não há argumentos.

18
Fev12

António Arroio : Óvalhamosanto!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Fátima Bento

Eu disse-me: "Fátima, filha, há três assuntos de que vais parar de falar no teu main blogue

1. Politica;

2. Depressão

3. desandar a fazer queixinhas: ai que estou assim, ai que estou assado.

KAPUT.

Mas (há sempre um mas não há? Rái's parta o mas...) o Senhor Presidente da nação resolveu ir à António Arroio, Secundária de Artes de Lisboa que está assim a funcionar a modos que para o sub... tudo.

Vai daí, os meninos organizaram uma pequena manifestação de descontentamento, e ficaram à espera do chefe da nação.

Certo.

Sentados, espero.

Entretanto, o corpo de segurança do Senhor Presidente dispersou.

E os meninos que não são asssim tão burros, perceberam que deram c'os burros n'água, e não havia visita presidencial para ninguém.

(a razão porque o homem, perdão, o Senhor Presidente, foi ou não foi é-me alheia, e menor para o caso. Porque o caricato é o que se passa a seguir)

Os senhores jornalistas, micro em punho, começam a entrevistar tudo o que mexia. E ouvi (euzinha) umas (quanto a mim) barbaridades que começavam mais ou menos todas sob a égide de "eu quero/ia perguntar ao Senhor Presidente..." e depois vinha uma dúvida que deveria ser posta

  • ao titular da pasta da Economia, ou
  • ao titular da pasta das Finanças, ou
  • ao titular da pasta da Educação, ou
  • ao Senhor Primeiro Ministro, por que não?

E às tantas, sai-se-me da boca de uma gaiata um descalabro que me deixou a questionar: quê?

É que é assim (isto antes de citar o disparate):

- A António Arroio sempre foi uma escola de artes.

- Logo, quem a frequenta quer ser artista.

- (embora me diga a experiência que quem lá anda acha que JÁ É artista)

- e um artista para ser artista precisa de alguma bagagem cultural. Ora essa babagem está, neste momento ao alcance das massas que saibam usar o google...

A menina em questão queixava-se que: eu até já tenho de vir de bicicleta para a escola, que os meus pais não conseguem pagar o passe!

Para uma artista isso deveria ser um motivo de orgulho!

Senão repare, menina infeliz:

 
"Sou um cidadão do mundo" Sócrates (o filósofo)
16
Fev12

Dúvida (desa)linha(da) - o trocadilho não funciona mas tem a ver com a gordura que vou já-já acumular nas coxas...

Fátima Bento

Olhem, eu ia falar do "Os homens que odeiam as mulheres" com o Craig, mas a verdade é que outros valores mais (doces) altos se impõem - está um geladinho de nata e noz mais um topping'zito de caramelo ali a piscar-me o olho há 'pra cima de 5 minutos! Um ror de tempo, portanto. Por isso, o filme do Craig vai ficar para outras núpcias, a juntar às marmitas e à dicotomia luxo/crise, que afinal vão ser aviados em dois posts.

Portanto, meus amores, mái logo vou jogar à roleta russa (salvo seja): numa bala escrevo marmita, noutra Craig, e na última, Vogue.

Adespois, adisparo.

A ver qual sai amanhã... não perca o próximo capítulo... tchan, tchan,tchan, tchan!!!!

[agora vou ali aviar os adipocitos que estão doidões para se engrupirem de açucares e gorduras que, dado o adiantado da hora:

- vão a correr acumular-se nas coxas e trazeiro;

- lhes vão saber a melhor que mel;

- me vão fazer passar looooooooonge da balança nas próximas 48 horas (pelo menos...)]

Pretantxe, fiquem bem que eu, de certeza, fico doce, miammi...

Ciao, belli!

16
Fev12

Vuelve a mi, Rocinante de mi corazón!!!!!!!

Fátima Bento

Estou doente de saudades. O Rocinante está nas boxes desde segunda-feira, e já apanhei um susto que me fez parar o coração: o primeiro orçamento extrapolava à vontadex o valor do veículo... de tal modo que o marido se virou para o mecânico: por esse valor, pode começar a preparar-se que fica com uma 'capoeira' nova.

Bem, lá deram a volta à coisa, conseguiram, ao que tudo indica, peças sucedâneas, e a coisa vai ficar (um nadinha) mais em conta (o camandro, que para pagar vai ser o caraças), mas como o arranjo vai levar mais tempo, vamos estar pelo menos uma semana separados.

Rocinante, mê filho, quando voltares mato um borrego e chamo a vizinhança.

Agora a sério:

Depois de passar toalhitas detoll no dito, dou beijinhos no volante. Muitos {#emotions_dlg.heart}{#emotions_dlg.heart}{#emotions_dlg.heart}{#emotions_dlg.heart}

É qu'isto 'tá mal!

 

- Primeiro ensinam uma gaja a voar;

- Segundo mal e porcamente, de cada vez que saía com o carro quase que tinha uma apoplexia;

- Terceiro, a gaja vai ganhando confiança;

- Quarto, a gaja começa a voar segura;

- Quinta, a gaja apaixona-se pelo vôo

- Sexta, "olha, temos de te amputar as asas..."{#emotions_dlg.angry}{#emotions_dlg.angry}{#emotions_dlg.angry}{#emotions_dlg.angry}

 

Bem... be still my beating heart.

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Follow on Bloglovin

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D