Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

29
Mar12

Na minha cronologia Facebookiana #1

Fátima Bento

Já toda a gente deve ter visto este vídeo, anda a rebolar na net há uns dias, nomeadamente nas redes sociais.

No entanto, e porque já sou veterana nesta coisa do Britain's Got Talent - para confirmarem, é só ir pelas tags - achei por bem partilhar aqui O famoso vídeo que me deixou com pele de galinha - e deu direito a uma standing ovation.

(para quem não quiser ver a introdução, a interpretação começa aos 01:50)

O título que tem sido dado ao vídeo, por bloggers, internautas, e afins, é 'a nova Susan Boyle?'.

Pois que não. 

Pela compleição física e idade, eu diria que é  futuro Pavarotti, se temos mesmo, MESMO de fazer comparações.

Porque Jonathan será, sem dúvida o futuro Jonathan.

Ponto.

29
Mar12

A odisseia da medicação errada, parte 2

Fátima Bento

Lembram-se disto? Pois é que não está lá a história toda. Não porque tenha desejado ocultar a mesma, mas porque foi um lento e penoso despertar, depois de tomar aquela merd@ toda durante seis dias, dar-lhe um corte de catanada e inverter a 180º, quando ía bastante acima da velocidade recmendada para tal. Digamos que foi o camandro. Durante mais três ou quatro dias continuei a sentir os efeitos adversos dos medicamentos, que ainda estavam no sistema. Mais: como interrompi a outra medicação durante essa semana, quando voltei à mesma, tive de passar pelo processo de (re-)habituação (os costumeiros 15 dias de boca pastosa e de gosto duvidoso. Sorte que foi um pouco menos) outra vez. 

Efeitos adversos:

  • Continuei agressiva durante dois ou três dias, sendo que em sentido descendente;
  • Ganhei uma fabulosa crise hormonal e desde aí que período nem vê-lo, e o corpo, baralhado, vai fazendo das suas: acordo uns dias com aquelas moínhas de - É hoje!, outros com as mamas do dobro do tamanho, como se estivesse grávida... digamos que o meu organismo está tipo anti-virus à procura do bug, e enquanto o faz, vai testando... e quem se lixa é aqui a mexilhona...
  • Afetou-me minudências... eu sou muito distraída, e fiquei mais, e com valentes lapsos de memória. A coisa tem melhorado, mas eu espero sinceramente que não me tenha f@did@ nenhuma célula das que já não voltam a crescer. Por via das dúvidas acho que me vou começar a empaizinar de anti-oxidantes para elas se renovarem mais depressa.
  • Reprecurssões físicas: descamação do couro cabeludo, de tal forma que apesar de estar mesmo a precisar de cortar o cabelo, tenho-me sentido desconfortável com a ideia de ir à cabeleireira. 
  • Pele macilenta e desidratada.

Mas o pior, ou pelo menos mais evidente e embaraçoso:

 

Na véspera de ir ao senhor doutor, tinha-me pesado, e a balança acusou 72 quilos. Como o meu peso ideal, aquele em que me sinto mesmo bem, se encontra na janela 65-67, contas feitas bastava-me perde 5 quilos para ficar porreirinha. Dali até ir à praia com ela cheia, tinha mais que tempo de o conseguir.

Entretanto vou à consulta, o gajo receita-me, eu tomo a medicação, e, ao 6º dia dou-lhe 'um corte de catanada e inverto a 180º' como digo acima. E, como tinha lido nas bulas que alguns faziam engordar, óy qu'ela vai à balança avaliar os estragos... 

6 DIAS = MAIS SEIS QUILOS.

Rácio: 1 quilo/dia!

Ok, 5 quilos, uma pessa perde, ou pelo menos eu sei que consigo perder, agora 11????

  

É que não estão bem a ver o filme... essa pesagem foi feita no dia em que mudei a medicação. Atentem acima: "Durante mais três ou quatro dias continuei a sentir os efeitos adversos dos medicamentos, que ainda estavam no sistema". Passado esse tempo, nova subida ao calvário: 81 quilos - mais 3!

Para fazerem uma ideia do impacto psicológico da coisa, eu fui com os meus jeans favoritos à consulta, passado pouco mais de uma semana, eu até conseguia entrar dentro deles, mas o gancho ficava a um palmo do sítio onde devia, e apertar, só em sonhos...

 

... e roupa para vestir? uma verdadeira odisseia: umas jeggings e dois camisolões leves. Vira-o-disco-e-toca-o-mesmo.

A temperatura subiu, graças as deuses, e consegui descobrir três ou quatro peças que me servem, e benditas leggings por baixo de túnicas compridas e/ou vestidos curtos!

De cada vez que olho para o espelho, penso 'quem é aquela?' Sinto-me a minha falecida gata Blimunda: um corpo imenso e uma pequena cabeça (ainda para mais hoje, que saí com o cabelo apanhado). Estou disforme. 

 

Foi mais ou menos assim: 

um dia adormeci com 72 quilos, e quando 'voltei a mim' pesava 81.

 

Neste momento oscilo entre os 78 e os 79 quilos, sendo que 2/3 de diferença foram perdidos com a cura desintoxicante aqui ao lado, que tem a duração de uma semana e serve para 'limpar' o organismo, que era coisa que o meu precisava mesmo, depois de meter aquela porcaria toda cá para dentro...


Agora há que passar à fase 2, e tentar continuar a perder peso. Não estou com vontade nem paciência, mas ainda hoje, no elevador do H. Santiago olhei de perfil para o espelho e vi uma grávida. 'Olha Tomás, vais ter um irmão!' 'Fogo!, parece mesmo barriga de gravida!...', diz ele de olhos arregalados. Verdadinha. Estou uma verdadeira desgraça.

E praia? 

E a praia, sinhores????? 

28
Mar12

Pessoal que ganhou uma 'caixinha de coisas boas':

Fátima Bento
  1. Desculpem ainda não ter enviado nenhuma. A nenhuma de vocês.
  2. Prometo que o vou fazer em breve.
  3. Se alguém quiser receber em mão, posso deslocar-me ao Almada Fórum ou ao Allegro.
  4. Mais uma vez, desculpem. E se alguém ainda não enviou os dados pessoais (inclusive as meninas das menções honrosas), fáchavor de o fazer.

A minha vida, como hão-de saber, andou uma beleza nos últimos meses, e eu perdi o pé, a mão e finalmente, a cabeça. Agora as pecinhas de tetris estão a querer fazer linhas consecutivas, e se continuarmos assim, estamos bem.

 

(É isso e não ir à praia. No próximo post vão saber porquê...)

27
Mar12

A azáfama que vai na minha rua!

Fátima Bento

Ele é tira amarela do-not-cross (ou será vermelha e branca?), ele é carro dos bombeiros, ele são os próprios, rua abaixo, rua acima (presumo que eles repitam o percurso para ir à tasca daqui da frente aviar 'mas mines', qu'este calor até deixa uma pessoa atarantada...). 

Eu se não nascesse, tinha sido inventada... então cai um terceiro andar em cima de um segundo, nem meia dúzia de prédios acima do meu, aquilo deve ter sido um escarcéu danado, pois se foram 8 ou 9 para o Garcia de Orta, e se foram 12 evacuados e realojados, deve ter havido barulho, não deve ter sido pouco, E EU NÃO DEI POR NADA?*. Como esta é uma artéria 'principal', que liga quem vem do Fogueteiro a Paio Pires (e mesmo ao Seixal, e vice versa), passam imensos veículos em marcha de socorro, daí que não acende cá nenhuma luz laranja na minha cabeça. Mas o engraçado é que houve uma altura em que o Vitor disse: - olha, calou-se! e eu - o quê? (que não tinha ouvido nada) ele: - a ambulância ou lá o que era! eu - mudou de ideias. Fim de conversa.

Pelos vistos tinham chegado ao local, daí o silencio repentino.

Fátima filha, porque não pões aqui umas 'poligrafias?'

É pá não tenho lata de sair daqui de maquina em riste para fotografar o prédio (que está incólume por fora), e os bombeiros com que me cruzei quando cheguei a casa há pouco não têm nada a ver com os bombeiros dos filmes, get it?, por isso não vale o incómodo... liguem a televisão às oito que vai passar nos canais todos. E vão exagerar a serio!

Os feridos já tiveram todos alta, sofreram escoriações. Podia, de fato, ter sido muito mais grave... 

Mas mesmo assim, além da propriedade destruída, ninguém ganhou para o susto.

(olha uma destas acontecer cá no prédio... evacuação... eu nem tenho dois transportadores para as gatas! Acham que eu saía daqui sem elas? Só amarrada, mesmo...)

 

*aqui há um ou dois anos atrás, a churrasqueira que fica aí uns cinco metros abaixo da porta do meu prédio, do outro lado da estrada, incendiou-se. Segundo me disseram, vieram carros de bombeiros, ambulâncias, o costume... eu só dei por isso duas semanas depois quando me apeteceu frango, e dei de trombas na porta fechada. DEPOIS é que juntei dois mais dois... estava a ler, deitada na cama, e ouvi. Ouvi sirenes, e tal, e pensei, canudo, isto hoje está agitado, e continuei a ler.

'Tá visto, se tivesse de ganhar a vida como cuscuvilheira, morria de fome.

 

 

24
Mar12

Choveu. Para estas bandas (também) terra...

Fátima Bento

Pelos vistos não choveu só água: o meu desgraçado Rocinante está tão, mas tão c@g@dinho que dá dó! E o pior é que, não sabendo quando a chuva pára, não o vou lavar neste entretanto. O gajo até mudou de cor: para mim, é vergonha! O que vale é que combina com os amigs todos estacionados nas imediações...

Aqui há um ano ou dois, uns ventos do norte de África fizeram com que chovesse areia misturada com a água... será que foi o mesmo?

Tadinho do meu infeliz corcel...

... o que ele não dava por um bom banhinho!
23
Mar12

Mr. Clooney ou O que eu vi #2

Fátima Bento

 Confesso que sempre tive uma antipatia militante por George Clooney, desde a sua participação como estrela-maior de ER, Serviço de Emergência, quanto a mim sem ponta por que se lhe pegasse - ele, não a serie... achava que ele era baixo e peludo... blergh...

Esta minha opinião arreigada fazia de mim uma espécie de ser-de-outro-planeta, por que já então, mulheres de todo o mundo suspiravam de admiração pelo gajo, e revistas lhe davam destaque, e mais destaque... e eu pensava, isto está tudo maluco... quantos mais suspiros e destaques mais earrgh eu ficava, e prontx, nasceu um "ódio de estimação". 

Passados que são 18 anos sobre a estreia da série mencionada, que deu o seu último estretor em 2004 (ih as saudades que eu tenho! Dentro do género, para mim não há serie que lhe chegue aos calcanhares...), saltemos para 2011. Clooney que entretanto cresceu, faz dois filmes que merecem destaque: "Nos Idos de Março", e " Os Descendentes".

E então, separemos as águas e falemos de um de cada vez.


Nos Idos de março (The Ides of March, 2011)

O primeiro papel deste filme pertence a Ryan Gosling, que consegue, duas ou três vezes fazer a sua angústia/desilusão/raiva transbordar do ecran e apanhar-nos em cheio.

O realizador reservou-se o primeiro papel secundário, e rodeou-se ainda de estrelas-maiores como Paul Giamatti e o fabuloso e óscarizado Philip Seymour Hoffman.

Clooney é consistente no desempenho do papel de um governador candidato à Presidência dos Estados Unidos aparentemente impoluto, a menina dos olhos de Stephen Meyers (Gosling), um genio em comunicação, e segundo homem forte da campanha de Mike Morris (Clooney). Stephen, um crente absoluto nas pessoas com quem trabalha, e na firmeza de princípios do Governador Morris, tem, ao longo do filme, uma amargo despertar para a inexistencia de limites éticos na política.

Este foi um filme de que gostei muito. E o facto de ter sido realizado por George Clooney segundo um guião escrito pelo próprio, só lhe acescenta valor. Caro mr. Clooney: 20 valores.


Os Descendentes (The descendents, 2011)

O papel desempenhado pelo ator supracitado deu-lhe o Globo de Ouro e ia-lhe dando o Óscar (que merecia, na minha opinião, inteiramente). 

Matt (Clooney) faz parte de uma grande família de excêntricos milionários-que-não-parecem, tal como o próprio, descendentes de emigrantes donos de uma boa parte do Hawai, herança que foi sendo vendida, restando agora uma imensa parcela de terreno a ser (ou não) também vendida.

Mas em primeiro plano, a mulher do mesmo tem um acidente que a põe em coma. Matt, mais ligado ao trabalho que à família nuclear, tenta reagrupar a ninhada - duas filhas + um amigo da filha mais velha que se cola aos três (li algures que só quem leu o livro consegue perceber o porquê da sua presença...), enquanto tenta desesperadamente gerir as emoções da descoberta de que Elizabeth o traía. Clooney demonstra neste desempenho uma contenção permanente e brilhante, além de nos conseguir convencer que é uma pessoa real e normal, igual ao nosso vizinho do lado, que consegue racionalizar sem passar por cima das suas emoções, e tomar as decisões certas sem perder o pé - nem a cabeça - dando prioridade ao que é realmente importante e conseguindo o que no início parecia não só difícil como improvável: formar uma nova e consistente família de três... bem, mais um...

Meu caro mr. Clooney: não tenho outro remédio senão conceder-lhe os mesmos 20 valores que lhe dei acima.

 

Agora voltemos ao início da conversa. 

Em primeiro lugar esclareço que o senhor não é baixinho, tem 1, 80m. Mais: tenho a certeza que se é peludo é porque quer.

Em segundo lugar: aos primeiros anúncios da Nespresso torci o nariz - porquê ele??? E depois veio a campanha com o John Malkovich a interagir com Clooney e... só não muda de opinião que é burro (não acrescento e teimoso, porque é do conhecimento geral que os asininos são teimosos).

Ok, o homem é charme em estado puro. Não parece nada 'diva', e até aparenta alguma afabilidade no contato com os fans. É um dos melhores atores da atualidade, acima de qualquer dúvida. 

(e agora entra o restinho de embirração: qualquer homem de smoking ou fato-de-para-cima-de-mil-euros, em forma e bem tratado, pode ter quilos de charme...)

Só um pormenor: mudo IMEDIATAMENTE de opinião no dia em que o gajo se passar da marmita e for ao bisturi (aquelas rugas em redor dos olhs deviam ter seguro de uns bons milhões...) Em todos o aspetos: olha o Liam Neesson (dos poucos casos em que compreendo o porquê de ter feito tal disparate, pelo que não me insurjo contra tal decisão, mas...): desde que foi ao esticador não o consigo levar a serio. A serio, que não o consigo levar a serio. No próximo post "O que eu vi", vou falar do The Grey, com ele. Ali, o que salva a honra do convento é o fato dele andar de capuz e ter barba de três (quatro, cinco, seis... dias), que disfarça as lisuras que não têm qualquer razão de existir num senhor com a sua idade... mas chega, fica para a próxima.

P.S:

 (já a isto, acho MESMO difícil resistir...)

22
Mar12

Eu tenho de pedir desculpa. A vocês e a mim.

Fátima Bento

 Este blogue, de há uns tempos para cá é uma grandessíssima merd@.E tanto eu como vocês, merecemos um bocadinho mais de que o que eu (não) me tenho andado a (esforçar para) fazer.

Mas vocês, válhamosanto, vêm cá. Todos os dias. Uma média de 120 por dia! 

Vergonha. Eu: vergonha...

Se eu tenho justificações? Tenho.

- Não tenho é desculpa.

Por isso, minhas queridas e queridos que continuam a depositar em mim a vossa confiança, EU PROMETO que vou melhorar aqui o cantinho. Que me vou policiar para escrever diáriamente - só me perdôo um dia sem escrever.

É que assunto não me falta! Os posts passeiam-se na minha cabeça como senhoras na baixa Lisboeta a ver montras, nos anos 70 e 80. Mas abro aqui o teclas e dá-me um ataque se 'sindroma da praia branca', e pfffftttt, não escrevo nada.

Já estou a atingir aquele ponto em que uma pessoa fica fartinha, fartinha, fartinha, de se auto-boicotar.

E vou mudar esta gaita toda de uma vez. Or I will die trying.

 

"O maior inimigo do homem é o homem." - Robert Burton (Inglaterra - 1577 // 1640)

21
Mar12

Se o facebook fosse UMA PESSOA? (cada pergunta...)

Fátima Bento

Bem o facebook seria uma pessoa que não consegue mentir, e que, um vez que toda a gente sabe que é patológicamente sincera, e como tal deveriam gerir o que lhe contam e mostram - para depois não chorarem sobre o leite derramado...

Seria divertido o suficiente para ter um monte de assuntos (jogos) mais ou menos obtusos para os idiotas como eu, volta e meia se perderem horas a fio na conversa (jogatana).

15
Mar12

Caros senhores que gerem a McDonalds:

Fátima Bento

Nós sabemos que o país está em crise, e vale tudo para aumentar as receitas, que estão a cair em todo o lado;

Nós sabemos que o nosso país é o campeão, no que diz respeito a iliteracia;

Nós sabemos que os portugueses andam cabisbaixos...

Mas...

... ainda olhamos para a menina atrás da caixa quando pedimos o nosso menu.

E...

...a menina atrás da caixa tem uma name tag ao peito.

Portanto...

...porque cargas de água é que somos brindados com um 'boa tarde eu sou a Carolina'.

 

 Palavra de honra que, desde que fui brindada com um 'sou a Anabela' (sem boa tarde, perdeu-se) num dos MacDo's mais simpático que conheço, que só de pensar em voltar a um daqueles espaços de fast food dá-me assim uma especie de arrepio - e não é por ter faltado a saudação... 

Meus caros gestores: assim não vão lá!

13
Mar12

ATENÇÃO!!!!!

Fátima Bento

Este blogue vai mudar de nome.

É que além de estar um bocadinho farta deste, não tem muito a ver com a minha atual e presente situação... apesar de estar em casa a tempo inteiro.

Por isso, e porque sim, porque me apetece, e porque esta casa é minha e quem manda aqui sou eu,

ESTE BLOGUE VAI MUDAR DE NOME.

Ainda não sei para qual, mas ando a pensar no assunto. 

Não se admirem, pois, se chegarem aqui e o nome for outro. Não se vão embora: fiquem e tomem um cafézinho!

Ciao!

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Follow on Bloglovin

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D