Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de uma "dona de casa" 2.0

... à beira de um colapso

Diário de uma "dona de casa" 2.0

... à beira de um colapso

14
Jul07

A SALOICE DO CANUDO, ou...

Fátima Bento

...ou-como-eu-fui-estupida-ao-ponto-de-suar-a-camisola-e-levar-um-chuto-no-trazeiro...

JÁ CHEGA.

 

Tenho-me mantido aqui no meu cantinho, sem fazer ondas, estupidamente educada, e low profile qb.

 

Mas agora, já é demais.

 

Não gosto, nem nunca gostei dos meandros da politica e dos jogos de poder em que rolam cabeças só porque são precisos “escape goats“, sem pensar nos donos das ditas… no entanto, em meio à situação que estou a viver agora, devo dizer que a politica institucionalizada, com meandros mais ou menos opacos, ganhou um respeito da minha parte que de facto, não tinha. Pela tenacidade daqueles que lá andam, que caem e se levantam, e apontam o dedo a quem acham que os empurrou, e que se mantém alerta na primeira esquina, para rasteirar da mesma moeda quem lho fez antes.

 

À “pequena escala”, à escala de quem anda aqui pelo aparecer, quais pavões a exibir a plumagem numa feira de vaidades, que trepa pondo os pés onde (e em quem) nem repara, só para aparecer mais na fotografia, a coisa ganha no jogo baixo, e perde na dignidade dos que se re-erguem, se sacodem, e seguem caminho (salvo raras e honrosas excepções, que acabam por mais não fazer de que confirmar a regra).

 

Posso, e devo, passar a registar aqui o que me deixa tão desencantada, magoada, traída, mas só pensar na dimensão e impacto que tem em mim, me dói.

 

Muito.

 

E sei que nem adianta de nada contar, apresentar factos e datas, mencionar contradições, porque, depois de quase 2 anos de dedicação total a um projecto de “Formação em Acção Parental, que sem o meu envolvimento, provavelmente ainda seria um projecto de intenções no fundo de uma gaveta, foi considerado que não tinha competências para evoluir com o projecto. Porque, e ninguém corrigiu esse argumento, me falta a licenciatura.

 

Porque para

1) desbravar caminho,

2) lançar alicerces,

3) cimentar contactos,

4) acompanhar cada um dos cursos presencialmente,

nunca foi posta em dúvida a minha capacidade. Agora, que a coisa tem raízes, e conta ganhar maior projecção, foi feito um contacto pela/com a filha de um casal amigo do Presidente, e eis senão quando eu sou remetida para a prateleira, perdão, secretária, num cargo sem nome em que, como eu própria coloquei, seria assim uma espécie de faz-tudo do circo, em que fazia uma perninha a assistir o coordenador geral do projecto (que é o sr. Presidente, acumulando mais um cargo) e outra a assistir a directora pedagógica de implementação… yada…yada….do projecto. E teria de me reportar a ambos (e quem mais se inventasse colocar de premeio), em relação a algo que EU COMECEI, facto de que muito me orgulho.

                                                                                                                                

Ÿ          E não me venham dizer que este projecto é outro, maior, porque sem o inicio não  existia, quanto mais tinha crescido…

Ÿ          E não é para me responderem, mas o que é mais difícil, começar do nada, ou seguir as linhas já traçadas?…

Ÿ          (e quem as ajudou a traçar???)

 

Agarrando-me à convicção de que mereço mais respeito de que aquele que me era destinado, recusei-me a ocupar o tal espaço com o meu nome na prateleira, perdão, secretária.

 

E demiti-me.

 

Estou, então à margem, persona non grata que me tornei, banida.

 

E todo este embrulho numa Federação Regional de Associações de Pais onde se trabalha VOLUNTÁRIAMENTE. Portanto, o gozo deste tipo de atitudes só pode estar no lixar o próximo, porque sim. Ou eliminar o ‘objecto’ que ameaça crescer e fazer sombra…

 

Vão ficar-me na memória algumas frases ditas em reunião alargada a todos os Órgãos Sociais da Federação, saídas da boca daqueles que acompanharam os relatórios sumários transmitidos oralmente por mim, de 30 em 30 dias, e que podiam ter-se abstido de comentários por falta de informação que os validasse… no entanto, e dado que, a informação era partilhada entre mim e o Presidente, como bons ‘yes-men’, fizeram coro com o lado mais forte… e eu vi-me remetida a je e a moi-même.

 

De qualquer forma, a pérola da noite foi para o Sr. Presidente, e merece ficar gravada na pedra: a propósito de eu ainda estar no início da Licenciatura de Psicologia, e das minhas capacidades, vociferou um:

 

“Não me interessa o que vais ser, interessa-me o que tu és agora”.

 

A resposta, que não dei na altura, só pode ser “Um Alguém com letra ‘muito’ maiúscula, que se não tivesse preparado o terreno, agora, não havia rali.”

 

E tenho dito.

 

Fátima

 

 

 

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Mais sobre mim

foto do autor

Follow on Bloglovin

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D