Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

Diário de uma dona de casa 2.0

... à beira de um colapso

04
Fev14

O nosso tão imenso umbigo...

Fátima Bento

Estava em casa, eram umas 11 horas da noite quando recebi o telefonema de um querido amigo meu. O telefonema deixou-me muito feliz e, a primeira coisa que ele me perguntou foi:

- Como estás?

E, sem saber porquê, respondi:

- Muito só...

- Queres conversar?

Eu respondi que "sim"...

- Preferes que eu vá até a tua casa?

E, respondi que "sim", novamente...

Desligou o telefone e em menos de quinze minutos lá estava ele a tocar à minha campainha. Eu comecei a falar e fui falando durante horas do meu trabalho, da minha família, do meu companheiro, dos meus problemas e dúvidas e, ele, atento escutou sempre. Naquele dia eu estava muito cansada mentalmente e, a sua companhia fez-me muito bem. Além do mais, do começo ao fim ele escutou, apoiou e aconselhou-me. E finalmente, quando notou que eu estava melhor, disse:

- Bem, agora tenho de ir trabalhar...

Surpreendida disse-lhe:

- Porque é que não me disseste antes que tinhas que ir trabalhar, olha só as horas que já são, não dormiste nada, eu roubei o teu tempo por toda a noite.

Ele sorriu e me disse:

- Não te preocupes, é para isso que existem os amigos!

Ao ouvir isso fiquei feliz em saber que tinha e podia contar com um amigo assim. Acompanhei-o até a porta de e enquanto ele se preparava para caminhar até ao carro, eu perguntei:

- Ei, porque é que me telefonaste tão tarde? O que querias?

Ele voltou-se e disse com voz baixa:

- É que queria dar-te uma notícia... fui ao médico e ele disse que tenho um tumor maligno no cérebro, não operável, assim, só me resta esperar...

Naquele momento fiquei muda... ele sorriu e disse:

- Tem um bom dia!

Entrou no carro e foi-se embora... precisei de um bom tempo para assimilar a situação e, até hoje me pergunto porque foi que, quando ele me perguntou como eu estava eu me esqueci dele e só falei de mim? Como ele teve força para sorrir, me escutar e dizer tudo o que disse?

Desde este dia a minha vida mudou... deixei de ser tão crítica com meus problemas e de me preocupar tanto e apenas comigo. Agora, aproveito o meu tempo para estar mais perto das pessoas que amo, perguntar como elas estão e me interessar mais por elas, sem esperar nada em troca. Tento sentir mais profundamente aqueles que estão a minha volta e aqueles que passam por minha vida... fazer um amigo é um dom; ter um amigo, uma graça; conservar um amigo é uma virtude. 

Mas ser um amigo... é uma HONRA!!!

Autoria desconhecida

(tomei a liberdade de adaptar do português do brasil para o nosso)

Nota - encontrado no Facebook, de uma partilha de Ana Tobias 

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Follow on Bloglovin

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2012
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2011
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2010
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2009
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2008
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2007
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2006
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2005
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D